Tamanho do texto

Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, feito pelo IBGE, estima queda de 11,4% na safra de soja em 2012, apesar do aumento de 3,4% na área plantada

A quebra na safra da soja, causada por problemas climáticos, foi um dos fatores que mais contribuíram para o recuo de 8,5% no Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária no primeiro trimestre de 2012 em relação aos três primeiros meses de 2011, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta sexta-feira.

Na comparação com o quarto trimestre de 2011, o recuo foi de 7,3%. "Pela ótica da oferta, tanto a indústria quanto serviços cresceram.

Economia brasileira cresce 0,2% no 1º trimestre de 2012

Enfraquecida, indústria puxou crescimento do PIB no 1º trimestre

IBGE estima uma queda de 11,4% na safra de soja em 2012, apesar do aumento de 3,4% na área plantada
Reuters
IBGE estima uma queda de 11,4% na safra de soja em 2012, apesar do aumento de 3,4% na área plantada


O que puxou o PIB para baixo foi a agropecuária", disse Rebeca Palis, gerente da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE. "O ano passado foi muito bom para a agropecuária. E nesse ano a gente já teve estiagem no Sul e Nordeste". Ela ressaltou que a produção de soja tem um peso de 20% no PIB da agropecuária. "Já é muita coisa".

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, feito pelo IBGE, estima uma queda de 11,4% na safra de soja em 2012, apesar do aumento de 3,4% na área plantada, o que indica uma redução na produtividade.

Desaceleração econômica estoura 'bolha' de entusiasmo com o Brasil no exterior

Resultado fraco do PIB no 1º trimestre coloca Brasil atrás de seis países

A previsão para o arroz é de um recuo de 13,8% na produção e de uma queda de 11,8% na área plantada. Para o fumo, a expectativa é de redução de 15,9% na produção e de queda de 9,0% na área plantada.

"Essas três safras são importantes nesse primeiro trimestre", explicou Rebeca. "Está caindo também a pecuária, com fraco desempenho nesse início de 2012, o que ajudou a puxar para baixo o PIB agropecuário".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.