Tamanho do texto

O aumento de impostos incidente sobre essas bebidas será repassado ao consumidor

Os fabricantes de refrigerantes e cervejas planejam repassar ao consumidor o aumento de imposto anunciado ontem pelo governo federal. Em 1º de outubro, começa a valer o novo cálculo de IPI e PIS COFINS incidentes sobre essas bebidas; o aumento previsto para a carga tributária é de 27% para cerveja e de 10% para refrigerantes. As cervejas devem ficar 5,24% mais caras, e os refrigerantes, 9,77%, segundo um comunicado assinado por CervBrasil, Abrabe e SindiCerv (associações que representam os fabricantes de bebidas frias).

Leia também: Brasileiras perdem R$ 193 bi em valor de mercado em maio

"Para o setor de refrigerantes, além da elevação da carga tributária federal incidem mais dois efeitos: a redução de 40% dos benefícios fiscais da Zona Franca de Manaus e o aumento de 100% do IPI de produtos que levam em sua composição sucos naturais", diz a nota. No começo de abril, o Valor Online antecipou que a indústria ameaçava cortar os investimentos previstos para este ano. O comunicado das associações divulgado hoje reforça essa possibilidade: "[As medidas] significam um rompimento do circulo virtuoso que vinha permitindo o crescimento consistente dos investimentos". Ontem, a Coca-Cola Brasil reafirmou seu compromisso em manter os investimentos de R$ 2,8 bilhões previstos para 2012.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.