Tamanho do texto

No acumulado dos quatro primeiros meses do ano ante o mesmo período de 2011 o aumento foi de 18,7%

O Indicador de Inadimplência das Empresas, divulgado nesta terça-feira pela Serasa Experian, recuou 9,5% em abril na comparação com março, a maior queda verificada neste período do ano desde 2007, quando a variação negativa foi de 11,1%.

Na comparação com abril de 2011, no entanto, houve elevação de 11,8%. No acumulado dos quatro primeiros meses do ano ante o mesmo período de 2011, o aumento foi de 18,7%.

De acordo com a Serasa Experian, alguns setores já apresentam aumento de receita por causa dos juros mais baixos no crédito e dos estímulos ao consumo anunciados pelo governo.

Também influenciou na queda da inadimplência em abril, ante março, o menor número de dias úteis no quarto mês do ano e a base de comparação, pois em março o crescimento verificado no indicador havia sido de 11,6%.

As dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços) tiveram valor médio de R$ 776,77 no primeiro quadrimestre, crescimento de 4,4% ante igual período de 2011.

As dívidas com bancos tiveram um valor médio de R$ 5.285,55, 4,2% de alta na relação com o acumulado de janeiro a abril do ano passado.

Quanto aos títulos protestados, o valor médio do período foi de R$ 1.894,26, alta de 11,1%, enquanto os cheques sem fundos tiveram, nos quatro primeiros meses de 2012, valor médio de R$ 2.196,79, alta de 7,1%.