Tamanho do texto

Banco que coordenou lançamento de ações da rede social teria ocultado informações negativas de alguns investidores sobre a empresa

Zuckerberg, CEO do Facebook, no dia do IPO: ações
Getty Images
Zuckerberg, CEO do Facebook, no dia do IPO: ações "FB" despencaram nos primeiros pregões
O Facebook, seu presidente-executivo, Mark Zuckerberg, e diversos bancos, incluindo o Morgan Stanley, foram processados nos Estados Unidos por acionistas, que dizem que os réus esconderam previsões rebaixadas de crescimento da rede social antes da oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de 16 bilhões de dólares.

Eles foram acusados de ocultar de investidores, durante o processo de IPO, "uma severa" redução nas previsões de crescimento da receita do Facebook, como resultado do aumento de acessos à rede social através de dispositivos móveis.

O processo foi aberto em uma corte distrital de Manhattan, segundo um advogado dos queixosos.

Nos primeiros dias de pregão, as ações da rede social amargaram queda de mais de 18% , em parte devido aos rumores sobre uma possível investigação ao IPO . Os papéis operam em alta de 3,71% nesta manhã, recuperando parte das perdas. 

    Leia tudo sobre: facebook