Tamanho do texto

São Paulo e Rio são responsáveis 40% das vendas de carros no País e agora são obrigados a limitar o funcionamento das lojas

selo

São Paulo e Rio, Estados responsáveis por quase 40% das vendas de carros em todo o Brasil, são obrigados a limitar, a partir deste ano, o funcionamento das concessionárias de veículos aos domingos. Na capital paulista, a abertura é permitida em dois domingos ao mês. Neste domingo, era dia em que as revendas não podiam funcionar na capital.

A reportagem do Estado percorreu a Avenida Sumaré, na zona oeste, Avenida Braz Leme, na zona norte, e a Avenida Europa, nos Jardins, e constatou que as lojas estavam fechadas. No Rio, o acordo prevê o fechamento em todos os domingos.

Concessionária de veículos em São Paulo: proibição de funcionamento aos domingos
AE
Concessionária de veículos em São Paulo: proibição de funcionamento aos domingos
Porto Alegre (RS) é a única capital brasileira onde as concessionárias abrem todos os domingos, mas, a partir de 1.º de maio, também passará a funcionar com a mesma regra de São Paulo.

As demais capitais têm regras diferenciadas, que variam de não funcionamento em todos os domingos até abertura de um domingo ao mês, ou apenas nos domingos de dezembro. Por coincidência, a mudança ocorre num momento de vendas em queda.

A medida, aprovada em convenção coletiva entre sindicatos das concessionárias e dos trabalhadores, não tem apoio da totalidade dos empresários do setor. Pelo menos dois dos maiores grupos de revendedores do País, o Caoa e o SHC, que juntos somam cerca de 200 revendas, recorreram à Justiça e aguardam o julgamento de algumas ações.

Os grupos alegam que domingo é o segundo melhor dia de vendas (depois do sábado) e que perdem negócios. Em São Paulo, foram movidas 38 ações contra o Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado de São Paulo (Sincodiv) e o Sindicato dos Empregados no Comércio de São Paulo, que selaram no fim do ano passado o acordo de funcionamento escalonado. Algumas já perderam em segunda instância, mas outras ainda não foram julgadas.

No Rio, foram 12 ações com pedidos de liminares, todas cassadas, segundo a diretoria regional da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Abrir nos dias não permitidos acarreta multas. Em São Paulo, é de R$ 1,5 mil por funcionário trabalhando.

Desde 2007, o comércio de veículos funcionava aos domingos, prática que, segundo o Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado de São Paulo (Sincodiv), não se repete, por exemplo, na Europa e nos Estados Unidos.

“Realizamos uma assembleia em outubro que teve aprovação de 61,9% dos titulares das concessionárias para o funcionamento em dois domingos ao mês”, informa Octávio Leite Vallejo, presidente do Sincodiv. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.