Tamanho do texto

Pesquisa publicada no jornal "La Nación" mostra que 62% dos entrevistados concordam com a decisão do governo e 49% apostam que resultado será positivo para a economia

YPF é considerada culpada pela baixa produção petrólifera do país por 36% dos entrevistados
EFE / ENRIQUE GARCIA MEDINA
YPF é considerada culpada pela baixa produção petrólifera do país por 36% dos entrevistados
A maioria dos argentinos apoia a decisão do governo de expropriar 51% das ações da YPF. Segundo o estudo da consultoria Poliarquia Consultores, publicada neste domingo pelo jornal "La Nación", 62% dos entrevistados concordam com a decisão anunciada nesta semana por Cristina Kirchner.

Leia mais: Empresários argentinos divergem sobre desapropriação da YPF

Veja também: Argentina decide nacionalizar YPF e estremece relação com Espanha

Apenas pouco menos de um quinto (23%) dos argentinos discordou da desapropriação da petrolífera - que era detida em cerca de 57% pela espanhola Repsol. Segundo a pesquisa, 26% dos entrevistados concordam "plenamente" com a decisão e 36% apenas "concordam".

O estudo mostra também 49% dos argentinos acreditam que o resultado da estatização da empresa de petróleo será positiva para a economia, enquanto 31% apostam em um efeito negativo. Sobre a imagem do país no exterior, 47% afirmam que a ação afeta negativamente a Argentina, 22% acreditam que o país será bem visto e 18% afirmam que nada mudará. 

Ainda segundo a pesquisa, a YPF é considerada culpada pela baixa produção petrólifera do país por 36% dos entrevistados, enquanto 44% dos argentinos culpam o próprio governo. Foram entrevistados 1.115 residentes em 40 cidades do país, por telefone.

Veja também: YPF corta redes de informática com Repsol

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.