Tamanho do texto

De acordo com sindicato, obras serão paralisadas na próxima segunda-feira; negociações devem continuar no final de semana

selo

Os trabalhadores do Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), responsável pelas obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte na Volta Grande do Xingu, em Altamira do Pará, decidiram entrar em greve a partir da próxima segunda-feira por tempo indeterrminado. Após duas rodadas de negociações as partes não entraram em acordo. O CCBM foi notificado oficialmente da greve nesta quinta-feira.

Leia também : Aprovado acordo para usinas de Jirau e Santo Antonio

O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada do Pará (Sintrapv) teria realizado durante a tarde da quarta-feira e manhã desta quinta assembleias nos canteiros Porto e Acessos, Canais e Diques, Pimental, Belo Monte e Infraestrutura. Em todas as assembleias a maioria dos trabalhadores decidiu não aceitar a contraproposta apresentada pelo CCBM e cruzar os braços por tempo indeterminado.

Dentro da pauta de reivindicações constam a redução da baixada (visita das famílias), de seis meses para três meses, a inclusão dos ajudantes de produção nessa baixada, que não possuem o benefício; aumento do valor do vale-alimentação de R$ 95 para R$ 300, melhoria nos transportes (troca de ônibus), revisão de salários (equiparação salarial) e cumprimento de cláusulas do acordo coletivo.

Segundo os trabalhadores ouvidos via telefone, na última reunião, o CCBM teria sugerido manter os seis meses entre os recessos para os trabalhadores visitarem as famílias, não reduzindo o tempo de baixada. O aumento proposto para o vale-alimentação foi de R$ 90 para 110. Os trabalhadores pedem 300. A assessoria de imprensa do CCBM disse que "por enquanto, não haverá divulgação de nenhuma ação" com relação à greve e que no "momento se restringe a rotinas administrativas".

O consórcio disse ainda, por meio de sua assessoria, que reconhece como único e legítimo representante dos trabalhadores o Sintrapav-PA. Por esse motivo, todas as negociações são feitas exclusivamente por meio do sindicato. O diretor da sub-sede do Sintrapav-PA, em Belém, Luís Carlos Costa, disse que um diretor do Sindicato estaria na tarde desta quinta-feira nos canteiros tentando "negociar com as categorias". Segundo ele, a entidade quer evitar a paralisação programada porque quer "resolver a situação no que eles estão reivindicando, com diálogo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.