Tamanho do texto

Refino será elevado em 5% e haverá renegociação de preços com vendedores de combustíveis

Os interventores da companhia petrolífera argentina YPF iniciaram uma auditoria na empresa e decidiram aumentar a produção além de investigar a gestão da Repsol, no processo de desapropriação da petrolífera espanhola. "Foi determinado o aumento do refino total em 5%, além da renegociação das condições financeiras com vendedores de combustíveis e o começo de uma auditoria com a Sindicância Geral da Nação (SIGEN)", diz comunicado dos interventores da YPF no site do Governo argentino.

Ainda foram anunciadas medidas para economizar divisas e investigar a gestão da espanhola Repsol pelo "desabastecimento" de combustíveis nos últimos meses.

Os interventores foram nomeados na última segunda-feira pelo Governo e são liderados pelo ministro do Planejamento da Argentina, Julio de Vido.

A nota comunicou que o trabalho nestes primeiros dias de intervenção se concentrou na análise e comparação com os dados de abastecimento da empresa. Nesse sentido, a equipe mostrou preocupação com o suposto "desinvestimento" da Repsol, dona de 57,43% das ações da YPF.

O aumento de refino total em 5% é também uma das metas dos interventores, assim como a otimização da produção e economia de 66 mil metros cúbicos mensais de petróleo. "O volume de combustível derivado de óleo para as centrais térmicas (geradoras de energia) elevará em 60 mil toneladas por mês, o que representará uma economia de divisas de US$ 21,1 milhões mensais", apontou o comunicado.

Outra medida é o desvio de produção de gás da jazida "El Portón", na província de Neuquén (sul), a partir desta quarta, permitindo o aumento da injeção diária no sistema nacional em 2,2 milhões de metros cúbicos adicionais do hidrocarboneto. A economia será de aproximadamente US$ 50 milhões mensais.

Além disso, nas próximas semanas, 14 equipes de perfurações e oito de reparação de poços de petróleos entram em atividade. "O impacto desta medida será 130 perfurações e 400 consertos a mais do que as previstas até dezembro, com aumento estimado da produção de petróleo em 2 milhões de barris, ou seja, 2,5% da produção anual atual e permitindo a economia de divisas", indicou.

Para garantir o funcionamento regular da YPF, estão sendo analisadas políticas de segmentação do mercado e de discriminação de preços levadas adiante pela gestão anterior. Nesse ponto, o interesse é investigar os fatores que "provocaram o desabastecimento de combustíveis, tanto para o uso particular como empresarial".

Os interventores ainda destacaram que serão iniciadas gestões com bancos, clientes e provedores para voltar a fornecer combustível aos postos de gasolina e abastecer à indústria. A intervenção nomeou delegados para trabalhar gratuitamente na companhia até que seja aprovada a lei de desapropriação e seja designada uma nova direção.

O Senado argentino, de maioria governista, analisará nesta quarta, pelo segundo dia consecutivo, o projeto governamental recebido na segunda-feira para expropriar 51% das ações Classe D da YPF nas mãos da Repsol, com expectativa de obter uma sentença para o debate da questão na próxima semana pela Câmara Alta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.