Tamanho do texto

A Google nega ter conhecimento de que precisava pagar pelo uso da tecnologia Java da Oracle em seus celulares

selo

A Oracle acusou a Google de infringir as patentes e os direitos relacionados a tecnologia Java
Getty Images
A Oracle acusou a Google de infringir as patentes e os direitos relacionados a tecnologia Java
O executivo-chefe do Google, Larry Page, disse que não se lembrava de um e-mail interno do grupo que a Oracle apresentou nesta quarta-feira como uma evidência de que o gigante de buscas sabia que precisava pagar pelo uso da tecnologia Java, da Oracle, em seus celulares. O testemunho dele ocorreu no terceiro dia da batalha judicial entre as duas empresas sobre propriedade intelectual em São Francisco, nos Estados Unidos.

A Oracle acusou o sistema operacional Android, do Google, de infringir as patentes e os direitos relacionados a tecnologia Java. A Oracle pede US$ 1 bilhão pelos danos. O julgamento deve durar cerca de dois meses. O e-mail interno do Google, apresentado a Page hoje, era endereçado ao chefe responsável pelo Android, Andy Rubin, e escrito por um funcionário chamado Tim Lindholm. Lindholm escreveu que pediu a Page e ao cofundador do Google, Sergey Brin, para encontrar alternativa ao Java para ser usada no Android. Nenhuma alternativa existe, escreveu o funcionário, acrescentando que ele recomendava obter uma licença para usar Java.

Leia também: Google é multado nos EUA por 'atrapalhar' investigação sobre Street View

O Google tentou excluir das provas o e-mail de Lindholm, mas o juiz William Alsup não aceitou a reclamação do gigantes das buscas. Nesta quarta-feira, um advogado da Oracle disse que o e-mail contradiz o testemunho anterior de Page, quando o CEO afirmou que estava ciente de que Lindholm era um funcionário do Google, mas não se lembrava dele "em particular". Page também disse não se lembrar de dar orientação a Lindholm. Ao tomar conhecimento de uma cópia do e-mail do funcionário, Page reiterou suas palavras. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.