Tamanho do texto

Resultado da primeira semana com novas taxas para crédito destinado a micro, pequenas e médias empresas cresceu 907%

Como reflexo no corte nas taxas de juros anunciado há uma semana, a Caixa Econômica Federal está comemorando o aumento de 907% no repasse de recursos na linha de capital de giro destinado à micro, pequenas e médias empresas dispostas a levantar recursos para cobrir despesas de caixa de curto prazo. “A média semanal anterior era R$ 19 milhões e passou para R$ 196 milhões”, afirma ao iG Economia o vice-presidente de crédito Fábio Lenza.

O aumento ocorreu entre os dias 9 e 16 de abril, após o banco estatal reforçar a linha de crédito para a composição de caixa das empresas com um aporte adicional de R$ 8 bilhões para o Giro Caixa Fácil.

Leia também: Empresas ganham R$ 45 bi em capital de giro em apenas sete dias

Segundo Lenza, o repasse maior de financiamento se deve à “taxa é matadora” praticada há uma semana. A redução é parte da pressão do governo federal para forçar os bancos privados a reduzirem o spread (diferença entre os juros pagos para captar dinheiro no mercado e emprestá-lo).

“A nossa taxa era 2,72% e caiu para 0,94%. Com isso, a taxa que girava em torno de 24% a 30% ao ano está abaixo de 12%. O corte na taxa anual foi de 68,7%”, diz o executivo.

Leia também: Veja se vale a pena trocar de banco para pagar juros menores

Os clientes pessoa física buscaram mais crédito no banco estatal, principalmente na linha de financiamento consigado concedido a beneficiário do INSS ou com débito em conta salário. A modalidade cresceu 124%, indo a R$ 676 milhões ante anteriores R$ 302 milhões.

O Crédito Direto ao Consumidor (CDC) passou de R$ 42 milhões para  R$ 98 milhões, depois que a Caixa reduziu o spread para pessoas físicas .

O crédito total repassado pela Caixa cresceu 13% na última semana. De acordo com Lenza, a meta do banco é ampliar em R$ 71 bilhões o total de desembolso para clientes pessoa física e empresas entre abril e dezembro. O volume representa acréscimo de 24% sobre os R$ 300 bilhões definidos no início do ano para 2012.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.