Bruxelas, 16 jan (EFE).- O déficit comercial da zona do euro continuou crescendo em novembro do ano passado e já alcança os 32,1 bilhões de euros, informou hoje o Eurostat, o escritório estatístico comunitário.

Nos 11 primeiros meses de 2007, a balança comercial dos países da zona do euro tinha superávit de 19,7 bilhões de euros.

O déficit deste ano é resultado de exportações de 1,44 trilhão de euros (4% a mais) e importações de 1,48 trilhão (8% a mais).

No conjunto da UE, o déficit aumentou para 231 bilhões de euros, após aumentar 32% em relação os 11 primeiros meses de 2007.

Apenas no mês de novembro, a zona do euro teve um déficit de 7 bilhões de euros (frente ao superávit de 2,3 bilhões de euros em 2007), enquanto o saldo negativo dos membros da UE foi de 23,8 bilhões de euros (40% a mais que um ano antes).

As informações correspondentes a novembro são ainda provisórias, mas o Eurostat também facilitou hoje o detalhe da balança comercial até outubro.

Nos dez primeiros meses do ano, o déficit energético continuou aumentando, chegando até os 260,5 bilhões de euros na zona do euro (40% a mais que no mesmo período do ano anterior) e a 312,3 bilhões de euros no conjunto da UE (44,7% a mais).

O maior superávit foi resultado da troca de maquinaria e veículos, que cresceu 10,3% nos países da zona do euro para 165,7 bilhões de euros, e na UE 29,6%, para até 131,4 bilhões de euros.

O saldo positivo em produtos químicos também aumentou 7,6% nos quinze países da zona do euro até acumular 79,4 bilhões de euros nos dez meses, enquanto em toda a UE subiu de 64,4 para 67,1 bilhões de euros.

De janeiro até outubro, os membros da UE aumentaram suas exportações para Brasil (28%), Rússia (24%), Índia (13%) e China (12%), mas diminuíram as dirigidas aos Estados Unidos (4%) e ao Japão (3%).

Quanto às importações, cresceram principalmente as procedentes da Rússia (29%) e Noruega (27%), enquanto diminuíram as da Coreia do Sul (6%) e Japão (3%).

No que se refere ao saldo com os principais parceiros comerciais, o déficit da UE com a Rússia aumentou 37,5%, para até 60,8 bilhões de euros, e com a China subiu 4%, para até 138,8 bilhões de euros, enquanto o superávit com os EUA aumentou 16,8%, para até 56,2 bilhões de euros.

O Reino Unido, com um déficit de 101,4 bilhões de euros, continuou sendo o país membro com pior saldo comercial, seguido da Espanha, com 78,7 bilhões de euros.

Já a Alemanha, com um superávit de 158,6 bilhões de euros, acumulou o maior saldo positivo, e depois apareceu a Holanda, com 35,8 bilhões de euros. EFE vl/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.