O primeiro ministro espanhol, o socialista José Luiz Rodríguez Zapatero, afirmou ontem que seu governo está determinado a aplicar o plano de austeridade fiscal, apesar das pressões dos sindicatos que ameaçam convocar uma greve geral. Em encontro do partido socialista em Elche, no sul da Espanha, Zapatero avisou que está consciente dos protestos, mas que não cogita mudar a política.

O primeiro ministro espanhol, o socialista José Luiz Rodríguez Zapatero, afirmou ontem que seu governo está determinado a aplicar o plano de austeridade fiscal, apesar das pressões dos sindicatos que ameaçam convocar uma greve geral. Em encontro do partido socialista em Elche, no sul da Espanha, Zapatero avisou que está consciente dos protestos, mas que não cogita mudar a política. "Nem mudança, nem solavanco, respondemos às circunstâncias governando com responsabilidade, pensando no futuro da Espanha e não em uma convocação eleitoral", disse. "São medidas duras, mas realistas e necessárias para a saída da crise". O governo de Zapatero aprovou na quinta-feira um decreto-lei que inclui medidas de austeridade impopulares para obter economia de 15 milhões em 2010 e 2011.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.