Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Washington finaliza arranjos para receber cúpula do G20

Washington, 14 nov (EFE) - Em meio a fortes medidas de segurança, a capital dos Estados Unidos se prepara para o início, hoje, da Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países ricos e principais emergentes), a reunião que deve fixar as bases para a reforma do sistema financeiro internacional. Conscientes de que a economia mundial se encontra na pior situação há mais de meio século, os líderes dos países desenvolvidos e das economias emergentes tentarão pactuar, em Washington, medidas contra a crise e mudar as regras dos mercados para prevenir outras no futuro. A reunião foi convocada pelo grupo G20, do qual fazem parte as oito nações mais industrializadas do planeta, mais vários países emergentes e a Presidência da União Européia (UE). Além dos integrantes do Grupo dos Sete (G7, formado por Estados Unidos, França, Japão, Reino Unido, Alemanha, Itália e Canadá), compõem o G20 Brasil, Argentina, Austrália, China, Índia, Indonésia, México, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Coréia do Sul, Turquia e a Presidência da UE. Após intensas gestões diplomáticas, a Espanha conseguiu um lugar na reunião, graças ao apoio do presidente francês, Nicolas Sarkozy, à frente este semestre da União Européia. A Holanda, que também pediu para participar, estará integrada na delegação da França, e a República Tcheca (próxima Presidência da UE) ocupará um dos assentos da Espanha. Os líderes que participarão da cúpula começaram a c...

EFE |

Amanhã começarão as reuniões de trabalho com uma foto de grupo, e espera-se que, por volta de 15h (18h de Brasília), o encontro termine com uma declaração institucional de Bush.

Alguns dos participantes aproveitaram a presença em Washington para realizar reuniões bilaterais, como a que farão esta tarde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a chefe de Estado da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner.

O líder eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, não participará da cúpula, mas enviará dois emissários, a ex-secretária de Estado democrata Madeleine Albright e o ex-legislador republicano Jim Leach, que estabelecerão os primeiros laços do novo Governo com os países emergentes e as nações mais industrializadas. EFE pgp/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG