Porto Alegre - A rede varejista Wal-Mart mantém o investimento previsto para 2009 no Brasil, quando deve aplicar entre R$ 1,6 bilhão e R$ 1,8 bilhão, disse hoje seu vice-presidente de operações de atacado, Marcelo Viena, apesar da incerteza que tomou conta do mercado financeiro ontem após a rejeição do pacote de socorro ao sistema financeiro norte-americano. Os recursos serão usados na expansão da rede com mais 80 a 90 lojas no próximo ano no País.

Deste total programado para 2009, mais de dez lojas serão da bandeira Maxxi Atacado, disse Viena. Em 2008, dez unidades do Maxxi serão inauguradas, expandindo a bandeira para outras regiões fora dos Estados do Sul. O Wal-Mart tem 15 lojas Maxxi, sendo 13 na Região Sul e duas inauguradas recentemente em Salvador (BA) e Lauro de Freitas (BA). Além das duas novas na Bahia, a bandeira terá mais oito lojas em 2008 nas cidades de Salvador, Fortaleza (CE), Campo Grande (MS), Londrina (PR), Pelotas (RS), Diadema (SP), Taboão da Serra (SP) e São Paulo (SP). O Wal-Mart não divulga a participação do Maxxi em seu faturamento.

O investimento em cada unidade Maxxi pode variar entre R$ 15 milhões e R$ 30 milhões, de acordo com o tamanho da loja. O perfil de consumidor pertence principalmente às classes C e D, além de pequenos comerciantes. O vice-presidente do Maxxi, Luiz Martinelli, disse que 70% das vendas são feitas para pessoas jurídicas. Questionado sobre as dificuldades de crédito decorrentes da crise financeira nos Estados Unidos, Viena observou que mais de 90% dos clientes pessoa jurídica são pequenos comerciantes que pagam à vista pelas compras. O crédito é importante para o cliente de porte médio, comentou ele.

O Wal-Mart tem 323 lojas no Brasil de várias bandeiras de hipermercados (como Supercenter e BIG), supermercados (como Bompreço e Nacional), atacado (Maxxi) e clube de compras (SAM'S Club). Em 2007, a rede faturou R$ 15 bilhões, com aumento de 16,2% ante 2006.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.