Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Wall Street volta a oscilar

As bolsas de Nova York voltaram a operar instáveis no fim do pregão, depois de ter forte queda e passar pelo positivo nesta sexta-feira. Por volta das 16h55, o Dow Jones tinha queda de 0,53%, e o Nasdaq subia 0,08%.

Redação com agências internacionais |

 

Acordo Ortográfico

A construção de casas recuou 6,3% em setembro para uma taxa anual de 817 mil unidades - perante marca de 872 mil imóveis residenciais registrados um mês antes (número revisto). 

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse nesta manhã que o programa de resgate financeiro demorará algum tempo para restabelecer o fluxo de crédito e prometeu que a intervenção pública evitará exercer controle sobre os bancos.

Em discurso na Câmara de Comércio antes da abertura da Bolsa em NY, Bush pediu paciência aos mercados para deixar que o programa de resgate surta efeito.

Europa

A Bolsa de Paris fechou nesta sexta-feira em alta de 4,68%, a 3.329,92 pontos. Em Frankfurt o índice Dax também registrou alta de 3,43%, a 4.781,33 pontos.

Londres teve melhor desempenho, com o Footsie progredindo 5,22% a 4.063,01 pontos.

O índice S&P/MIB da Bolsa de Milão fechou em alta de 4,49%, para 21.645 pontos. Já o indicador Mibtel encerrou em alta de 4,16%, para 16.531 pontos.

Em Zurique, o índice índice SMI (Swiss Market Index) subiu 6,66% e fechou a 6.099,82 pontos. Já em Frankfurt, o índice DAX 30 fechou em alta de 158,52 pontos (3,43%), para 4.781,33.O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, fechou em alta de 347 pontos (3,73%), para 9. 655,20.

Ásia

Algumas bolsas de valores da Ásia conseguiram fechar em alta nesta sexta-feira, depois de sinais encorajadores de algumas empresas de tecnologia, como a IBM. Foi o primeiro ganho semanal em sete semanas.

A alta desta sexta-feira foi impulsionada pelo comportamento de Wall Street na véspera, quando o Dow Jones subiu mais de 4%. Mas os investidores continuam preocupados com a possibilidade de uma recessão global, o que garantiu bastante volatilidade aos mercados ao longo da semana.

"Ainda existe nervosismo no mercado sobre a economia real, mas os termos de composição dos preços agora são bons", afirmou Nagayuki Yamagishi, estrategista do Mitsubishi UFJ Securities, no Japão.

"Os problemas econômicos são o tema principal do mercado agora e todo mundo sabe disso, portanto, os aumentos serão limitados", acrescentou.

O índice MSCI da região Ásia-Pacífico, excluindo o Japão, chegou a subir durante o horário de pregão na Ásia, depois de ter tombado 8% na quinta-feira. O índice ganhou cerca de 1% na semana, a primeira valorização semanal desde o final de agosto.

O índice Nikkei da bolsa de valores de Tóquio teve alta de 2,8%, recuperando-se depois de ter caído 11,4% na quinta-feira, sua maior perda desde a quebra de 1987. O mercado em Cingapura registrou queda de 3,73%, enquanto o principal índice chinês, de Xangai, subiu 1,08%.

Mas outros importantes índices da região caíram. As ações negociadas na Coréia do Sul e Taiwan perderam mais de 2% cada. A bolsa de valores australiana perdeu 1,06%, enquanto a bolsa de Hong Kong caiu mais de 4% e o índice da bolsa da Índia tombou 5,73%.

(Com informações da AFP e EFE)

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

Leia tudo sobre: wall street

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG