Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Wall Street tem forte queda com dados de menor atividade industrial

SÃO PAULO - A avaliação pessimista sobre a atividade econômica mundial fez os principais índices acionários de Nova York fechar em forte queda, após cinco pregões seguidos de valorização. Ações dos ramos financeiro, tecnológico e ligados a commodities tiveram os piores desempenhos.

Valor Online |

Ao fim do dia, o índice Dow Jones das 30 principais ações registrou baixa de 7,7%, aos 8.149,09 pontos. O S & P 500 perdeu 8,9%, para 816,19 pontos e o Nasdaq Composite declinou 9%, encerrando aos 1.398,07 pontos.

Hoje saíram dados sobre a indústria de transformação que apontaram a retração dessa atividade nos Estados Unidos, China, Europa e Inglaterra. Além disso, houve queda de 1,2% nos gastos com construção nos EUA em outubro.

Esses números alimentaram as especulações sobre a intensidade e a duração da crise financeira global e seu efeito negativo sobre a economia real. Como evidenciaram o freio na produção industrial, os dados fizeram cair a cotação das commodities e, por consequência, das ações de indústrias pesadas e produtores de itens básicos. A Alcoa perdeu 13,5%, a Caterpillar, que faz máquinas e escavadeiras, recuou 10,8% e a General Electric caiu 9,7%.

Mais uma previsão da analista Meredith Whitney, da Oppenheimer & Co, derrubou as ações do setor financeiro. Famosa por ter acertado as projeções de perdas do Citigroup, Meredith desta vez estimou que empresas de cartões cortarão quase pela metade os recursos disponíveis para crédito ao consumidor, um valor que superaria US$ 2 trilhões. Essa análise, junto aos dados fracos de atividade econômica, produziu uma forte baixa em ações como as do Citigroup (-22,2%), Bank of America (-20,9%), JP Morgan (-17,5%) e American Express (-15,7%).

(Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG