A Bolsa de Nova York encerrou em baixa, nesta quinta-feira, após dados decepcionantes sobre o crescimento americano e sobre o aumento do número de pedidos de seguro-desemprego, que reavivaram os temores referentes à economia: o Dow Jones caiu 1,78% e o Nasdaq, 0,18%.

O Dow Jones Industrial Average (DJIA) perdeu mais de 200 pontos (205,67), situando-se nas 11.378,02 unidades, e o índice Nasdaq, de alto componente tecnológico, baixou 4,17 pontos, chegando às 2.325,55 unidades.

O índice ampliado Standard & Poor's 500 retrocedeu 16,88 pontos, a 1.267,38 (-1,31%). "Os temores sobre o estado da economia voltaram à superfície", resumiu Al Goldman, analista da corretora Wachovia Securities.

Os Estados Unidos registraram um crescimento decepcionante no segundo trimestre, de apenas 1,9% (em ritmo anual), abaixo da alta de 2,3% esperada para o Produto Interno Bruto (PIB).

O mercado contava com o resultado dos cheques de restituição de impostos distribuídos como parte do plano de reativação do governo Bush, posto em prática para estimular a atividade econômica.

Além disso, o crescimento dos trimestres anteriores foi corrigido para baixo: 0,9%, no lugar de 1%, para o primeiro; e -0,2%, em vez de 0,6%, para o último trimestre de 2007. Foi a primeira vez que a economia americana registrou números vermelhos desde a recessão de 2001.

O número de pedidos de seguro-desemprego subiu em 44.000 nos EUA, na semana passada, com 448.000 inscrições, quando os analistas previam uma queda de 9.000. Foi o maior aumento em cinco anos.

Esses números, divulgados um dia antes das estatísticas oficiais de emprego e desemprego de julho, neutralizaram o otimismo dos investidores, que tinham começado a antecipar uma recuperação do mercado de trabalho, um dos indicadores da vitalidade da economia americana.

Esses dados "refletem uma economia que está muito perto da recessão. São decepcionantes", comentou Peter Cardillo, analista da Avalon Partners.

Para Lindsey Piegza, da FTN Financial, o importante agora é saber qual será o catalisador que mudará a dinâmica, no momento em que o pessimismo volta a se destacar. "Esperava-se que fosse o PIB", completou.

No mercado obrigatório, o rendimento do bônus do Tesouro com vencimento para dez anos caiu para 3,979%, contra os 4,048% de quarta-feira à noite, e o dos títulos para 30 anos, a 4,603%, contra os 4,638% anteriores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.