Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Wall Street fecha em alta expressiva, com recuperação de ações de bancos

SÃO PAULO - Os principais indicadores das bolsas nova-iorquinas tiveram um pregão de valorização hoje, amparados pelo fôlego das ações do setor financeiro, que vinham de quedas acentuadas.

Valor Online |

O Dow Jones Industrial ganhou 2,5%, para 11.239,28 pontos. O S & P 500 subiu 2,5%, aos 1.245,36 pontos. O Nasdaq Composite saltou 3,1%, ficando em 2.284,85 pontos.

Hoje foi um dia de recuperação para as ações das financiadoras de hipotecas Fannie Mae e Freddie Mac, que despencaram nos pregões anteriores, em meio às dúvidas dos investidores sobre a viabilidade das empresas e sobre a eficácia das ações do governo para dar apoio a elas. Em discurso no Senado, o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, disse que as empresas estão sob tiroteio não por causa de seus fundamentos, mas sim por uma crise de confiança, e que as ações de auxílio foram adequadas. Diante do comentário encorajador, os investidores voltaram às compras: Fannie Mae subiu 30,8% e Freddie Mac avançou 29,8%.

Outro a animar o setor financeiro foi o Wells Fargo, maior banco da Costa Oeste dos Estados Unidos. O lucro líquido da instituição caiu 23% no segundo trimestre, para US$ 1,75 bilhão, mas superou as expectativas dos analistas. Suas ações fecharam em alta de 32,8% e impulsionaram os papéis de congêneres. Citigroup (13,1%), JP Morgan (15,9%) e Bank of America (22,4%) tiveram altas fortíssimas. A seguradora AIG, que ontem recuou 8,5%, hoje subiu 12,8%.

O novo dia de queda do petróleo hoje - os contratos de agosto e setembro negociados em Nova York recuaram mais de US$ 4 - afetou influenciou os papéis de empresas do setor, como Exxon Mobil (-1,7%) e Chevron (-3,4%).

(Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: wall street

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG