Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Votorantim concentrará financiamento de veículos do BB

BRASÍLIA - O Banco do Brasil (BB) vai reduzir suas operações diretas de financiamentos de veículos dentro das concessionárias, a partir da joint venture com o Banco Votorantim. Segundo o vice-presidente de Finanças do BB, Aldo Mendes, a prioridade dessas operações será com o Votorantim, que deve elevar sua participação no mercado de 12% para 16%.

Valor Online |

Em teleconferência com investidores, executivos do BB destacaram que além da expansão do crédito de consumo no segmento de veículos, o segundo grande benefício para o BB na parceria anunciada semana passada será o uso da corretora do Votorantim para ampliar ações no mercado de capitais e ofertar maior número de produtos a empresas.

Mendes destacou que a meta do BB de ampliar a carteira de crédito em 20% este ano, sobre 2008, "é anterior" à aquisição da Nossa Caixa e do Votorantim pelo banco estatal.

Executivos do Votorantim citaram que a inadimplência da carteira de financiamento a veículos estaria em torno de 3%, abaixo da média do mercado, de 4%. Segundo eles, 95% da carteira total é comporta por veículos usados.

Na apresentação, o BB frisou que o avanço no crédito a veículos vai mitigar uma deficiência atual em sua carteira e permitir ampliar a concorrência. Enquanto essas operações representam metade do crédito a pessoas físicas em alguns bancos, na carteira do BB o financiamento a veículos responde apenas por 11%.

Outro ganho do BB será na área de empréstimo consignado em folha de pagamentos. Com os 3% do mercado detidos hoje pelo Votorantim, o BB elevará sua participação total a 22% do mercado de consignado.

O BB vai aguardar a aprovação da aquisição de 49,99% do capital votante e 50% do capital total do Votorantim para fazer o pagamento dos R$ 4,2 bilhões do negócio. Desse total, R$ 3 bilhões serão pagos à Votorantim Finanças e R$ 1,2 bilhões no aumento de capital do banco.

A direção do BB espera um aumento de 1,2% ou R$ 0,03 em lucro adicional por ação do banco, a partir da joint venture com o Votorantim.

A direção da nova instituição será alternada entre os sócios, cabendo ao BB presidir a primeira fase. Na previsão de Mendes, a parceria deve ser iniciada até abril próximo.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG