Expansão mensal de 2,2% no crédito é a mais alta registrada desde julho de 2009, segundo relatório divulgado pelo Banco Central

O volume global de crédito do sistema financeiro aumentou 2,2% em agosto, para R$ 1,583 trilhão, o correspondente a 46,2% do Produto Interno Bruto (PIB). No ano, o volume registrou acréscimo de 11,9% e, nos 12 meses até agosto, houve elevação de 19,2%.

Em relatório, o Banco Central (BC) aponta que "a expansão mensal de 2,2% é a mais alta observada desde julho de 2009, mostrando-se condizente com a intensidade da atividade econômica e com a manutenção de indicadores positivos relacionados ao mercado de trabalho, elementos que seguem impulsionando as revisões de investimento e consumo".

Em julho deste ano, o estoque de empréstimo se encontrava em R$ 1,548 trilhão, ou 45,5% do PIB (revisado). Em agosto de 2009, essa relação se encontrava em 43,3% do PIB. A parcela de empréstimos com recursos livres ficou em R$ 1,041 trilhão em agosto, alta mensal de 1,7% e acréscimo de 14,5% em 12 meses.

A exemplo de meses anteriores, o crédito com recursos direcionados, como financiamentos do BNDES, créditos habitacional e rural, registrou um ritmo mais forte, crescendo 3,3% entre julho e agosto, para R$ 541,2 bilhões, e 29,6% em 12 meses.

A taxa de inadimplência em atrasos superiores a 90 dias caiu para 4,8% do total da carteira de crédito referencial, ou seja, o volume tomado pelo BC para apurar as taxas de juros médias do sistema. Em julho, essa taxa equivaleu a 4,9%.

A média de inadimplência em operações contratadas por pessoas físicas saiu de 6,3% para 6,2%. A inadimplência entre as pessoas jurídicas ficou estável em 3,6%. Conforme o Banco Central (BC), o prazo médio das operações está em 457 dias corridos, sendo 536 dias para pessoas físicas e 386 dias para pessoas jurídicas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.