Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Volkswagen informou nesta quinta-feira que concluiu uma negociação com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté (SP) para introdução do sistema de banco de horas, que permitirá a flexibilização da jornada de trabalho na unidade. O acordo prevê que a empresa poderá conceder até 25 dias de descanso durante 2009, com o lançamento das horas nesse sistema para compensação futura.

A proposta da Volkswagen referente ao banco de horas deverá ser submetida à avaliação dos empregados no início da próxima semana. "Diante do atual cenário é fundamental ter mecanismos de flexibilidade para adequação da jornada de trabalho e dos volumes de produção que assegurem condições de rápida reação às demandas de mercado", afirma em nota o gerente-executivo de Relações Trabalhistas da Volkswagen do Brasil, Nilton Junior.

A montadora informa como ficará a situação dos empregados contratados por prazo determinado na unidade, com vencimento em janeiro e fevereiro de 2009. Segundo a montadora, 450 serão efetivados imediatamente, 200 contratos serão renovados e aproximadamente 150 serão encerrados.

A decisão está em linha com a posição adotada ontem pelos membros do Conselho Superior Estratégico da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que defenderam a necessidade da flexibilização da jornada de trabalho para evitar novas demissões no País. "Uma vez aprovado o banco de horas, o comportamento do mercado definirá a necessidade da redução de jornada através de dias de descanso. Faremos esta avaliação mensalmente. Por ora, não temos dias de descanso previstos para Taubaté", acrescentou Nilton Junior.

A unidade de Taubaté tem ainda cerca de 600 empregados contratados por prazo determinado, com vencimento principalmente nos meses de setembro e novembro de 2009. "As efetivações serão avaliadas conforme as necessidades de produção do momento", informa a montadora.

Nas próximas semanas, a empresa deve discutir medidas de flexibilidades com os sindicatos das demais unidades, em São Bernardo do Campo (SP), São José dos Pinhais (PR) e São Carlos (SP).