Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Volatilidade continua pautando negócios na Bovespa, que cai 2,38%

Com o ambiente externo ainda dominado pela incerteza, as vendas prosseguem na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Por volta das 12h40, o Ibovespa recuava 2,38%, para 47.

Valor Online |

265 pontos, com giro financeiro somando R$ 2,56 bilhões. Na mínima da manhã, o índice testou 46.260 pontos.

Em Wall Street, a expectativa de que o governo acabará intervindo para evitar o colapso da seguradora AIG chamou os investidores para a ponta compradora, puxando alta de até 0,7% para o Dow Jones. Mas o bom humor foi momentâneo, há pouco, o Dow Jones recuava 0,28%, enquanto o Nasdaq perdia 0,45%.

Os agentes também operam na expectativa de que o Federal Reserve (Fed) contará a taxa básica de juros na tarde de hoje. A decisão será apresentada por volta das 15h15. Atualmente o juro básico dos EUA está fixado em 2% ao ano.

No câmbio, a moeda norte-americana ganhava valor ante o real, mas o ritmo de compra é menos acentuado em comparação com observado pela manhã. Há pouco, a moeda era negociada a R$ 1,833 na venda, ganho de 1,37%. Na máxima, o dólar testou R$ 1,858.

Segundo Fausto Gouveia, analista da Win, home broker da correta Alpes, essa possibilidade de ajuda à segurada AIG e a reunião do Fed geram expectativas positivas, mas a volatilidade segue dominando o pregão. "É perigoso apostar que as coisas estão se acalmando", avalia.

Gouveia também destaca que além da crise financeira, o mercado também sofre com a acentuada correção no preço das commodities. Como reflexo dos problemas no sistema de crédito, as expectativas de menor crescimento mundial ganham força e o preço das matérias-primas vai para baixo.

Dentro desse ambiente, a recomendação do especialista para quem quiser operar na bolsa é giro rápido, ou seja, não carregar posições, e definir bem os "stops" - limites de ganho e perda.

Dentro do Ibovespa, os carros-chefe seguem liderando a movimentação. Petrobras PN caía 0,33%, para R$ 29,70, depois de um breve passeio pelo território positivo. Já a ação PNA da Vale se desvalorizava 2,40%, para R$ 32,81.

Com o terceiro maior volume do pregão, a ação ON da BM & FBovespa recua 3,80%, saindo a R$ 8,08. Os bancos, que ensaiaram uma recuperação, voltaram a cair de forma acentuada. Bradesco PN se desvalorizava 2,25%, para R$ 27,26. Itaú PN recuava 1,73%, a R$ 28,35, e Banco do Brasil ON valia R$ 20,11%, baixa de 1,71%.

Com o petróleo beirando os US$ 90 o barril de WTI, o setor aéreo ganha atratividade. Há pouco, o papel PN da Gol subia 1,08%, para R$ 15,81, e TAM PN avançava 2,25%, para R$ 39,07.

"(Eduardo Campos | Valor Online)"

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG