Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Vivo capta R$ 550 milhões com notas promissórias

SÃO PAULO - A Vivo captou R$ 550 milhões em notas promissórias, a um custo de 110,2% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI), para um prazo de um ano. A operação foi fechada com apenas dois bancos: Banco do Brasil e HSBC.

Valor Online |

A emissão é para fazer frente ao vencimento das notas anteriores, previsto para novembro, num total de R$ 530 milhões. Os papéis anteriores pagavam juros de 104% do CDI.

Carlos Raimar Schoeninger, diretor de relações com investidores e de fusões e aquisições da Vivo, está satisfeito com a operação. " O dinheiro está mais caro mesmo. " Ele explicou que a opção pelas notas deve-se à perspectiva de que a companhia não precise do dinheiro por mais do que um ano. Assim, não faria sentido usar um instrumento de prazo mais longo, que hoje está com custo substancialmente mais alto, " típico de momentos de crise " .

O ano de 2008 é emblemático. Trata-se do maior investimento já realizado, considerando aquisições e investimentos, num ano. A previsão é de um gasto total de R$ 6,5 bilhões. " Foi a compra da Telemig e a licença e implantação da rede 3G de uma vez só. Mas a empresa se preparou para isso. " A companhia tem mais R$ 1,1 bilhão de linhas pré-aprovadas com bancos.

Em junho, a dívida líquida da Vivo estava em R$ 3,5 bilhões. De acordo com Raimar Schoeninger, 100% dos contratos em dólar estão protegidos e a companhia não deverá ser prejudicadas pela alta da moeda.

(Graziella Valenti | Valor Econômico)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG