Tamanho do texto

Washington, 28 jul (EFE).- O multimilionário Richard Branson e sua empresa Virgin Galactic exibiram hoje ao mundo a gigantesca nave WhiteKnightTwo que servirá como plataforma de lançamento de veículos espaciais para turistas.

A nave, com uma asa de 42 metros de comprimento, surgiu do hangar da Scaled Composites no Deserto de Mojave, na Califórnia, onde foi desenhada e construída durante quatro anos.

A "WhiteKnightTwo", que iniciará os testes de vôo em setembro, foi projetada para levar a mais de 15.240 metros de altura uma nave com seis passageiros e dois pilotos para um salto até cerca de 105 quilômetros da Terra.

Mais de 250 aspirantes a astronautas já pagaram US$ 200 mil para assegurar a chance de voar pela órbita e de experimentar ficar alguns minutos livres da força da gravidade.

A nave tem duas cabines e fuselagens sobre as quais se estende a asa, tão grande quanto a dos bombardeiros B-29 da Segunda Guerra Mundial.

Entre as duas fuselagens da "WhiteKnightTwo" irá acoplada a nave para passageiros "SpaceShipTwo" também da Virgin Galactic.

"Este é um grande avião", disse o fundador da Scaled Composites, Burt Rutan. "E poderíamos dizer que é o maior avião que já se construiu totalmente com materiais compostos", acrescentou.

Em 2004, uma multidão de espectadores se reunião no Mojave, ao norte de Los Angeles, quando a nave "SpaceShipOne", desenhada por Rutan e financiada pelo co-fundador da Microsoft, Paul Allen, conquistou os US$ 10 milhões do prêmio Ansari X como a primeira aeronave tripulada do setor privado que chegou ao espaço e retornou a salvo.

Os trabalhos na "White Knight Two" foram atrasados quando, há um ano, uma explosão no local de testes da Scaled Composites matou três técnicos.

A empresa, que agora é propriedade da Northrop Corporation, apresentou uma apelação a uma multa de US$ 28.870 imposta pelo Estado por infrações das regulamentações de segurança no trabalho.

A "WhiteKnightTwo" pode estar pronta para fazer um lançamento ao espaço depois dos 40 vôos de testes "se tudo andar bem", disse Rutan, que ressaltou que o mais provável é que se faça alguns poucos vôos a mais.

O plano de Branson e de Rutan é que a "WhiteKnightTwo" leve o "SpaceShipTwo" até cerca de 15.200 metros de altura antes de soltá-lo.

A "SpaceShipTwo" subirá depois ao espaço impulsionado por seu próprio foguete híbrido dando aos passageiros uma breve experiência como há meio século tiveram os primeiros astronautas.

Antes do reingresso na atmosfera, a "SpaceShipTwo" dobrará suas asas para cima, o que reduzirá o atrito.

Espera-se que a viagem de aproximadamente duas horas e meia inclua cinco minutos sem gravidade, mas este projeto não colocará a nave em órbita já que ela é desenhada somente para subir e retornar rapidamente.

A "SpaceShipTwo", que ainda não foi mostrada ao público, terá uma cabine espaçosas com grandes janelas que proporcionarão aos passageiros amplas vistas da Terra e do espaço, disse Rutan.

Os passageiros que viajarem na "WhiteKnightTwo" também terão vistas espetaculares da separação da "SpaceShipTwo" e sua partida rumo às alturas.

"Estaremos voando em dois meses, e os testes em terra começam quase que imediatamente depois desta apresentação", afirmou Will Whitehorn, presidente de Virgin Galactic.

Whitehorn disse que assim que terminem as avaliações em terra e todos estejam satisfeitos, a nave estará no ar em poucas semanas, "no máximo oito".

"Poderia ser muito em breve, mas não há uma data exata. Esta é uma empresa em que já gastamos cerca de US$ 100 milhões", acrescentou. EFE jab/rb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.