Com 90 anos no mercado, a Vigor, tradicional fabricante de produtos lácteos adquirida pela Bertin em 2007, vai passar por uma grande transformação. Dona das marcas Vigor, Leco e Danúbio, a empresa pretende trabalhar cada uma delas para públicos específicos.

"Queremos transformar a marca Danúbio, por exemplo, numa Häagen-Dazs", diz o diretor executivo da Vigor, Fernando Falco. A Häagen-Dazs é a marca internacional de sorvetes super premium da General Mills - quinta maior empresa do ramo de alimentação do mundo, da qual Falco é egresso.

O plano de marketing da empresa direciona a marca Danúbio para a classe A, de maior poder aquisitivo - porém, sem transformá-la numa marca inacessível às outras classes. "Trata-se do luxo acessível", diz o diretor de Marketing da Vigor, Marcos Henrique Scaldelai, também ex-General Mills.

Já a marca Leco, há 80 anos no varejo, terá como foco as classes A/B. A idéia é conquistar o consumidor preocupado com saúde e qualidade de vida. Por isso, a empresa lançou o Lective, um iogurte funcional que concorre diretamente com o líder Activia, da Danone.

Segundo Falco, o mercado de iogurtes funcionais é um grande filão. No ano passado, enquanto o iogurte tradicional cresceu 4,3%, os funcionais tiveram alta de 37%, de acordo com dados da empresa de pesquisa de mercado ACNielsen. "Estamos buscando a segunda posição nesse segmento", declara. A marca Vigor, a mais tradicional, será voltada para a classe C. São produtos mais básicos, como os iogurtes e queijos tradicionais.

No plano de Falco está a meta de dobrar a receita da unidade de lácteos em cinco anos. A companhia fechou 2008 com vendas de R$ 975 milhões e crescimento de 8% ante 2007. Além do reposicionamento das marcas, outra arma para alcançar esse objetivo é a sinergia obtida com a união com a Bertin, que ampliou o leque de clientes. A Vigor atinge hoje 20 mil varejistas e a Bertin, 15mil. Desse universo, apenas 4 mil varejistas são comuns.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.