Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Venezuela e China intensificarão relações econômicas

A Venezuela e a China vão intensificar as relações econômicas, no início de uma visita de dois dias do vice-presidente chinês, Xi Jinping, ao país sul-americano. Xi e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, concordaram ontem à noite em estabelecer uma comissão conjunta de negócios com o objetivo de fomentar os contatos entre líderes empresariais dos dois países e reforçar os laços nos setores de serviços, comércio e investimento.

Agência Estado |

"Eu peço a vocês que libertem toda a sua criatividade para levar essa comissão de negócios a uma trajetória repleta de conquistas", declarou Chávez durante reunião com líderes empresariais venezuelanos e chineses realizada na noite de terça-feira em Caracas. "Nós temos certeza de que, por intermédio de nosso esforço conjunto, a benéfica cooperação entre a China e a Venezuela terá um futuro mais brilhante", declarou, por sua vez, o vice-presidente chinês.

Xi afirmou que Pequim e Caracas estão próximos de fortalecer as relações políticas e a cooperação nos setores de energia, transporte, habitação, eletricidade, comércio e finanças. A comissão conjunta de negócios elaborará propostas para a melhora das relações bilaterais que serão discutidas numa reunião de especialistas chineses e venezuelanos marcada para setembro em Caracas.
Durante sua estada na Venezuela, Xi assinará acordos que incluem "joint ventures com a Petróleos de Venezuela (PDVSA) para exploração, processamento, refino e transporte de petróleo". Sobre o assunto, Chávez declarou que a Venezuela será um fornecedor confiável de petróleo para a China pelos "próximos séculos". "Todo o petróleo que a China precisa para os próximos 200 anos está aqui, para seu desenvolvimento, para seu impulso", prometeu o líder venezuelano.

A visita de Xi coincide com o 35º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre Caracas e Pequim. Xi está na Venezuela no âmbito de um giro pela América Latina. Ele já passou pelo México e pela Colômbia. Da Venezuela, ele virá para o Brasil. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG