aliança estratégica com assinatura de acordos - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Venezuela e China ampliam aliança estratégica com assinatura de acordos

Caracas, 18 fev (EFE).- A Venezuela e a China ampliaram hoje sua aliança estratégica com a assinatura de vários acordos, entre eles energéticos e tecnológicos, e a duplicação até US$ 12 bilhões de um fundo para projetos de desenvolvimento no país sul-americano.

EFE |

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, e o vice-presidente chinês, Xi Jinping, ressaltaram o dinamismo da relação bilateral, refletida em uma troca comercial de mais de US$ 10 bilhões anuais, assim como nas cinco visitas oficiais feitas pelo líder venezuelano à China na última década.

Como mostra o avanço dos 104 projetos comuns em desenvolvimento, Chávez exibiu o primeiro telefone celular produzido na Venezuela, com tecnologia chinesa, e pediu a Xi que entregue o aparelho ao presidente chinês, Hu Jintao.

Além disso, o governante venezuelano ressaltou que o ato oficial que liderou com Xi foi transmitido em cadeia nacional obrigatória de rádio e televisão através do satélite Simón Bolívar, fabricado na China e colocado em órbita em novembro do ano passado.

Por sua vez, o vice-presidente chinês reiterou que, com a visita que conclui hoje em Caracas, a "aliança estratégica" bilateral entrou em um nível superior, que impulsionará ainda mais a "cooperação mutuamente benéfica".

"A China quer trabalhar ainda mais com a Venezuela para o benefício e ganhos compartilhados", acrescentou o vice-presidente chinês, que destacou ainda a "amizade e confiança" entre Caracas e Pequim.

Chávez e Xi assinaram a ampliação até US$ 12 bilhões do fundo estratégico criado em 2007 com um capital de US$ 6 bilhões para o financiamento de projetos na Venezuela.

Com a ampliação desta quarta-feira, a China fornece ao fundo US$ 8 bilhões e a Venezuela, os US$ 4 bilhões restantes, e parte desses recursos serão destinados a elevar a "um milhão de barris diários em 2015" o fornecimento de petróleo venezuelano ao país asiático, disse Chávez.

"A Venezuela ratifica sua condição de parceiro fornecedor de petróleo à China para os próximos 500 anos", afirmou o líder, que ressaltou que o fundo é um mecanismo financeiro que "não tem precedentes na história" venezuelana "ou mesmo no mundo".

O Governo venezuelano anunciou seus planos de elevar a provisão de petróleo à China dos atuais 331 mil barris diários a um milhão de barris em um prazo de quatro anos.

A Venezuela é o "quarto país fornecedor de petróleo da China, e seu quinto parceiro comercial na América Latina e no Caribe", afirmou Xi na terça-feira à noite em um ato com empresários dos dois países em Caracas.

No campo energético, Venezuela e China assinaram um memorando para o estudo conjunto de cinco campos petrolíferos na Venezuela, com 314 bilhões de barris no total, segundo dados preliminares venezuelanos.

A petrolífera chinesa estatal CNPC participa, junto a empresas de Argentina, Brasil, Chile, Equador, Espanha, Índia e Irã, no processo internacional de certificação das reservas da rica Faixa do Orinoco, calculadas preliminarmente em 235 bilhões de barris recuperáveis.

Na área agrícola, Chávez e Xi assinaram um acordo para reabilitar sistemas de irrigação, e outro para desenvolver o cultivo e processamento da Aloe vera.

O presidente venezuelano qualificou a cooperação agrícola como o aspecto "mais importante" na aliança com a China, pela experiência, o alto grau de tecnologia e a disposição de Pequim de financiar essa área.

Em matéria comercial, Caracas e Pequim acertaram a constituição de uma "empresa mista" que se instalará na Venezuela para a fabricação de equipamentos eletrodomésticos e em telecomunicações.

Os países selaram memorandos entre o Ministério de Informação e a "Rádio Internacional da China" ("CVI"), e entre "Telesur" e a estatal chinesa "CFTV".

O vice-presidente chinês visitou a Venezuela dentro de uma viagem por vários países latino-americanos cuja próxima escala é o Brasil, aonde partiria nesta mesma tarde. EFE gf/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG