Tamanho do texto

Caracas, 13 mar (EFE).- O Governo venezuelano ampliou para a próxima segunda-feira o prazo para os interessados apresentarem ofertas pelo Stanford Bank Venezuela, que sofreu intervenção do Estado no mês passado, após saber da fraude na matriz do banco, nos Estados Unidos.

"(O Governo) decidiu prorrogar (...) o prazo de entrega de requisitos à Sudeban (Superintendência de Bancos)", informou uma nota publicada na imprensa pela junta interventora.

O processo de venda do banco foi aberto na segunda-feira com o prazo de inscrição marcado para até 12 de março, já tendo expirado, caso fosse mantido.

A intervenção do Stanford Bank Venezuela, que tem 14 agências e cerca de US$ 200 milhões em ativos, foi solicitada pela própria direção do banco, que sofria uma retirada compulsiva de depósitos.

Segundo cálculos do banco, os fundos retirados somaram 200 milhões de bolívares (US$ 93 milhões), aproximadamente 37% dos 542 milhões de bolívares (US$ 252 milhões) que ele tinha em seus cofres, de acordo com a Sudeban.

O processo de venda vai até 20 de março, quando uma assembleia de acionistas analisará as ofertas apresentadas.

Antes disso, os inscritos terão acesso ao data room, no qual conhecerão o estado das contas do banco para calcular o preço que estarão dispostos a pagar. EFE afs/jp/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.