Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Vendas perdem força, mas Bovespa perde 0,16%; dólar sobe 1,38%

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue operando em território negativo, mas ensaia uma retomada depois de perder mais de 1,3% no começo do pregão. Por volta das 12h50 horas, o Ibovespa recuava 0,16%, para 40.

Valor Online |

755 pontos, com giro financeiro em R$ 894 milhões, baixo para esse período do dia.

Em Wall Street, o pregão começou de forma negativa, com Dow Jones e Nasdaq recuando 0,84% e 0,47%, respectivamente. Os agentes assimilam o resultado de vendas do Wal-Mart. O maior varejista do mundo registrou alta nas vendas em dezembro (excluindo combustíveis), mas o resultado foi menor do que o esperado, o que levou à revisão na previsão de lucro.

O tom positivo do dia veio com os pedidos iniciais por seguro-desemprego nos EUA, que caíram para 467 mil na semana passada, contra uma previsão de 543 mil.

Segundo a analista da SLW Corretora, Kelly Trentin, o movimento vendedor na Bovespa ainda tem caráter de realização de lucro, com os investidores garantindo os ganhos recentes e aguardando a divulgação de dados relevantes sobre a economia norte-americana na sexta-feira.

Amanhã, será apresentado o relatório sobre o mercado de trabalho em dezembro e a expectativa com o dado piorou depois que a ADP, empresa que processa folhas de pagamento, divulgou o fechamento de 693 mil vagas no setor privado durante o mês.

Kelly aponta que os investidores trabalharam com um cenário de muitos riscos e algumas possibilidades de melhora, que partem das reduções globais de juros e planos de estímulo econômico. Foram essas possibilidades que impulsionaram os ganhos recentes, mas nos últimos dois dias os riscos preponderaram.

No âmbito corporativo, Petrobras PN ensaia recuperação, limitando as perdas do Ibovespa. Há pouco, o papel avançava 0,40%, para R$ 24,55. Atuando em direção contrária, Vale PNA perdia 0,36%, a R$ 27,39.

As siderúrgicas seguem em forte baixa, com o ativo ON da CSN caindo 2,05%, para R$ 34,39, apresentando o quarto maior volume do dia. Usiminas PNA desvalorizava 1,99%, a R$ 29,45.

Entre os bancos, Banco do Brasil ON apontava baixa de 2,03%, negociado a R$ 15,44. Bradesco PN perdia 0,65%, a R$ 24,19.

A ação PNB da Aracruz devolve o acentuado ganho do período da manhã. O papel ganhou destaque desde ontem em meio aos rumores de que fechou um acordo com os bancos para pagar US$ 2 bilhões referentes a operações com derivativos cambiais. Há pouco, o ativo perdia 0,33%, a R$ 2,96, depois de ser negociado a R$ 3,18.

Destaque de alta para as ações PN da Vivo, que subiam 4,23%, para R$ 30,75, recuperando parte das perdas de ontem. Alta também para Perdigão PN, que valia 2,3% mais do que ontem, cotada a R$ 10,23.

No mercado de câmbio, o ambiente externo negativo e a menor propensão ao risco mantêm o dólar em trajetória de alta ante o real. Há pouco, a moeda era negociada a R$ 2,270 na venda, valorização de 1,38%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG