As fabricantes de automóveis continuam a viver um pesadelo nos Estados Unidos. Em janeiro, as vendas no mercado americano despencaram mais uma vez, atingindo seus piores índices desde 1982, segundo o site CNNMoney.

Uma das causas dessa nova queda é a retirada de encomendas feitas pelas locadoras de veículos.

Em janeiro, a General Motors, a maior montadora dos EUA, anunciou uma queda de 49% nas vendas em relação a janeiro de 2008. A Ford teve queda de 40%, quando incluídas também as vendas da marca Volvo - que a empresa tenta vender. A Chrysler, menor e mais problemática entre as três maiores montadoras do país, teve queda de 55% nas vendas no mês.

Não foram, porém, apenas as fabricantes americanas que tiveram problemas em janeiro. A japonesa Toyota, maior montadora mundial, registrou um decréscimo de 32% nas vendas no mês passado, enquanto a também japonesa Honda teve queda de 28%. "Nós estamos vivendo tempos sem precedentes na indústria, e nenhuma companhia do setor automobilístico está imune às condições atuais do mercado", disse, em comunicado, Dick Colliver, vice-presidente executivo de vendas da Honda nos EUA.

No caso da GM, a empresa vendeu 129,2 mil carros nos EUA no mês passado. Antes de outubro do ano passado, a GM ficou décadas inteiras sem registrar uma venda mensal abaixo de 200 mil unidades. Agora, isso se tornou rotina.

Já a Ford vendeu em janeiro 93 mil unidades, número bem menor que o esperado por analistas e pela própria empresa. É a primeira vez, em muitos anos, que as vendas da Ford ficam abaixo de 100 mil unidades em um mês, e o desempenho aumenta ainda mais a pressão financeira sobre a companhia, que anunciou na semana passada um prejuízo recorde de US$ 14,6 bilhões em 2008.

A Chrysler, por sua vez, anunciou que suas vendas totais nos EUA em janeiro foram de 62,1 mil unidades. Quando fez seu pedido de socorro ao Congresso dos EUA no ano passado, a Chrysler estimava que o setor vendesse 11,1 milhões de unidades neste ano. No entanto, a empresa afirmou ontem hoje que, se a tendência observada em janeiro continuar, a indústria pode vender apenas 10 milhões de unidades ou menos.

A Toyota vendeu em janeiro nos EUA 117,2 mil unidades, ante 171,8 mil no mesmo mês de 2008. O site Edmunds.com, especializado em análise de dados da indústria automobilística, projetava para a Toyota um volume de vendas de 130 mil unidades. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.