Tamanho do texto

Segundo IBGE, volume de vendas cresceu 2,0% e receita avançou 1,6% no mês

O volume de vendas do comércio varejista brasileiro cresceu 2,0% em agosto, em comparação com julho na série com ajuste sazonal. Esse é o melhor resultado para um mês de agosto da série histórica iniciada em 2000 e o melhor dado mensal desde março.

A receita nominal cresceu 1,6%, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo IBGE. Com esse resultado, o setor completa quatro meses consecutivos de taxas positivas em volume de vendas e de oito meses em receita nominal.

Considerando a série sem ajuste sazonal, o volume de vendas cresceu 10,4% (sobre agosto de 2009), 11,3% no acumulado em 2010 e 10,1% nos últimos 12 meses.

Na mesma base de comparação, a receita nominal obteve crescimento de 12,8%, 14,3% e de 13,1%, respectivamente.

O IBGE notou que todas as 10 atividades apresentaram vendas maiores na passagem de julho para o mês seguinte, como Livros, jornais, revistas e papelaria (3,5%), Móveis e eletrodomésticos (2,9%), Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,2%) e Combustíveis e lubrificantes (1,2%).

No confronto anual, também houve ampliação generalizada nos volumes de vendas nos segmentos avaliados. Em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, por exemplo, foi verificada alta de 7,2%; Móveis e eletrodomésticos registraram incremento de 16,7%.

"Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo foi o setor responsável pela principal contribuição (34,1%) à taxa global do varejo", destacou o IBGE.

Quanto ao comércio varejista ampliado, que inclui veículos e motos e materia de construção, as vendas tiveram elevação de 2,1% em agosto, depois de incremento de 1,7% em julho. A receita nominal apresentou incremento de 1,7%, seguindo os 2% de julho.

( Com agências )

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.