RIO - As vendas do comércio varejista nacional aumentaram 0,6% em maio depois de acréscimo de 0,2% um mês antes, com ajuste sazonal. No confronto com o quinto mês de 2007, houve elevação de 10,5%. No acumulado deste ano, o aumento foi de 10,9%. Em 12 meses, as vendas subiram 10,3%. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A alta da inflação ainda não afetou os resultados do varejo brasileiro, avaliou hoje o técnico da coordenação de serviços e comércio do IBGE, Reinaldo Pereira. Segundo ele, os dados do comércio varejista relativos a maio, que apontam crescimento de 0,6% em maio ante abril e aumento de 10,5% ante igual período de 2007, mostram que a desaceleração dos resultados do setor, que havia sido apurada em abril, resultou de um efeito calendário provocado pelo feriado da Páscoa - que este ano foi em março e, no ano passado, em abril.

"As variações em maio foram significativas, o varejo voltou aos níveis do primeiro trimestre (de 2008). Como já tínhamos previsto, o varejo ainda não sofreu repercussão da inflação e do aumento do preço dos alimentos", disse.

Segundo Pereira, os dados do varejo em maio mostram que o aumento da renda e do crédito continuam impulsionando as vendas do setor.

Setores

Na passagem de abril para maio, sete entre as dez atividades avaliadas registraram ampliação no volume de vendas, como Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (5,1%); Outros artigos de uso pessoal e doméstico (2%); e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,1%).

Conforme o levantamento do IBGE, ainda na base mensal, Veículos e motos, partes e peças registraram variação nula e Livros, jornais, revistas e papelaria e Tecidos, vestuário e calçados apresentaram queda, de 0,1% e 1%, respectivamente.

Perante maio de 2007, todas as atividades do varejo apresentaram volume de vendas maior. Com elevação de dois dígitos, apareceram Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (29,9%), Móveis e eletrodomésticos (16,1%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (12,9%), Combustíveis e lubrificantes (12,9%) e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (10,6%).

A receita nominal de vendas expandiu-se 1,3% em maio, sucedendo alta de 0,7% um mês antes, na série com ajuste sazonal. No comparativo com maio de 2007, o acréscimo foi de 16,6%. No acumulado do ano, a expansão correspondeu a 15,9%. Em 12 meses, o aumento chegou a 14,3%.

O comércio varejista ampliado, que inclui os segmentos de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, registrou elevação de 0,8% em maio no volume de vendas e de 0,6% na receita nominal. Na comparação com o quinto mês de 2007, houve incremento de 11,3% nas vendas e de 16,5% na receita nominal.

Com informações do Valor Online e da Agência Estado

Leia mais sobre  comércio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.