SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não resiste à instabilidade externa e firma posição em território negativo. Faltando cerca de uma hora para o encerramento dos negócios, o Ibovespa perdia 0,27%, para 36.

763 pontos, com giro financeiro em R$ 1,59 bilhão.

Já em Wall Street, o Dow Jones caía 1,27%, enquanto o Nasdaq perdia 1,92%. O conflito entre Israel e os palestinos inspira cautela nos investidores. Além disso, os agentes evitam a formação de posições em função dos feriados de final de ano.

O conflito no Oriente Médio estimulou a compra de petróleo, que chegou a ser negociado acima dos US$ 42 na máxima do dia, mas próximo ao encerramento dos negócios as compras perdiam força e a commodity valia cerca de US$ 38 o barril de WTI.

Com isso, as ações PN da Petrobras, que chegaram a subir mais de 4%, perderam fôlego. Mas, ainda assim, registravam ganho de 1,27%, para R$ 22,28, contendo parte das perdas do Ibovespa.

Ganhos modestos e volume elevado para Bradesco PN e Itaú PN que subiam 0,22% e 0,03% para R$ 22,26 e R$ 25,91. Alta de 3,07%, para BM & FBovespa ON, que valia R$ 6,03.

Puxando as vendas, Vale PNA desvalorizava 1,88%, negociada a R$ 23,45. As siderúrgicas também mudaram de direção devolvendo os ganhos do começo do dia. Gerdau PN desvalorizava 0,68%, a R$ 14,55, e CSN ON recuava 0,24%, a R$ 28,02.

Ainda na ponta vendedora, TIM Part ON perdia 6,21%, para R$ 4,98, e JBS ON recuava 5,42%, a R$ 4,53. Klabin PN e TAM PN desvalorizavam mais de 4% cada, para R$ 3,33 e R$ 18,17, respectivamente.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.