Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Vendas dos supermercados crescem 10,42%

As vendas reais nos supermercados apresentaram crescimento de 10,42% em março em comparação ao mesmo mês de 2009, segundo divulgou a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Na comparação com fevereiro, as vendas tiveram alta de 10,16% e nos três primeiros meses de 2010 a expansão de 8,61% sobre igual período de 2009.

AE |

As vendas reais nos supermercados apresentaram crescimento de 10,42% em março em comparação ao mesmo mês de 2009, segundo divulgou a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Na comparação com fevereiro, as vendas tiveram alta de 10,16% e nos três primeiros meses de 2010 a expansão de 8,61% sobre igual período de 2009. O resultado é o melhor para o mês de março em dois anos. Segundo a Abras, o resultado trimestral mostra claramente a manutenção da tendência do forte aumento de vendas do setor. O desempenho de março em relação a fevereiro foi impactado positivamente pelo maior número de dias assim como pelo resultado das vendas da Páscoa. Preços. O valor da cesta de 35 produtos considerados de largo consumo, medido pela Abras e GfK, registrou uma alta de 2,32% em março ante fevereiro, para R$ 274,48. Já em relação a março de 2009, houve aumento de 6,49% no valor da cesta. Os produtos da cesta que registraram as maiores altas em março ante fevereiro foram tomate (40,96%), batata (13,48%) e leite longa vida (10,51%). As maiores quedas da cesta ficaram com papel higiênico (-5,98%), carne traseiro (-2,32%) e farinha de trica (-1,19%). O setor registrou no ano passado a maior relação entre o lucro líquido e o faturamento desde 1999, quando o levantamento da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) com a Nielsen começou a ser realizado. Segundo a pesquisa, a relação ficou em 2,23% ante 2,12% de 2008. "Estamos em um novo patamar de lucro, puxado pelo crescimento da massa salarial do País", disse o presidente da Abras, Sussumu Honda. De acordo com Honda, diante do incremento da renda disponível para o consumo nos supermercados, as redes passaram a comercializar produtos com margens superiores às registradas pelos alimentos.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG