Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Vendas do comércio varejista acumulam alta de 10,9% este ano

Rio de Janeiro, 15 jul (EFE).- O volume de vendas do comércio varejista acumulou crescimento de 10,9% nos cinco primeiros meses deste ano em comparação ao mesmo período de 2007, informou hoje o IBGE.

EFE |

A receita nominal de vendas do varejo acumulou expansão de 15,9% entre janeiro e maio frente à mesma época do ano passado, já descontada a inflação, diz o IBGE.

Apesar dos aumentos dos preços e dos juros, as vendas dos comerciantes cresceram em maio, quando expandiram 10,5% no volume de vendas em relação ao mesmo mês de 2007 e 0,6% em comparação com abril deste ano.

"Em maio de 2008, o comércio varejista do país manteve positivas suas taxas de volume de vendas e de receita nominal em relação ao mês anterior. Estes resultados expressam uma pequena aceleração no ritmo de vendas em relação a abril", diz o IBGE.

De acordo com o IBGE, todos os setores do comércio registraram elevação das vendas em maio em comparação ao mesmo mês do ano passado.

Os resultados de maio também afastaram os temores de que a inflação dos alimentos possa reduzir significativamente o consumo das famílias brasileiras.

Tal temor surgiu em abril, quando as vendas dos alimentos registraram retração no país em meio às evidências de que a crise mundial dos mesmos também estava afetando o Brasil.

A expansão das vendas em maio foi liderada precisamente pelo setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentares, bebidas e fumo com aumento de 8,4% frente a maio de 2007, graças ao aumento do consumo das famílias, favorecido pela queda do desemprego e pelo crescimento da renda dos trabalhadores.

As vendas de alimentos e bebidas, que este ano já acumulam crescimento de 6,8%, foram responsáveis por 39% da composição do índice geral do comércio em maio.

Também contribuíram especialmente para o aumento das vendas do varejo em maio o desempenho dos setores de móveis e eletrodomésticos (16,1%), combustíveis e lubrificantes (12,9%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (10,6%).

A forte expansão das vendas de móveis e eletrodomésticos, superiores às do comércio em geral, "continua sendo explicada pela expansão do crédito, pela redução dos preços dos eletroeletrônicos e pela melhoria da massa de salários da população ocupada".

No resultado de maio, também se destacou o aumento das vendas de veículos, motos, partes e peças, de 14% em relação a maio de 2007.

As vendas de automóveis acumulam expansão de 21,4% neste ano e de 22,6% nos últimos 12 meses até maio.

"A redução das taxas de juros, a ampliação dos prazos de financiamento e as expectativas positivas quanto ao emprego são os principais fatores para a expansão das vendas do ramo", afirma o IBGE. EFE cm/wr/fal

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG