SÃO PAULO - O volume de imóveis residenciais novos comercializados no município de São Paulo somou 2,8 mil unidades em fevereiro, o melhor resultado para o mês desde 2004, informou hoje o Secovi-SP. Com isso, as vendas aumentaram 89,5% em relação a janeiro, quando foram vendidos 1,5 mil imóveis, e 83,7% contra igual período do ano passado (1,5 mil). O Valor Global de Vendas (VGV), em fevereiro, foi de R$ 915,1 milhões, o que representa uma alta de 55,9% sobre os R$ 586,9 milhões de janeiro e de 157,7% em relação ao VGV de fevereiro de 2009, quando o país sentia os efeitos da crise mundial, pontuou o Secovi-SP. Já os lançamentos, com 1,6 mil moradias, ficaram abaixo do total comercializado, segundo pesquisa da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). Apesar disso, o volume de imóveis lançados foi 178,6% superior ao de janeiro deste ano (590 unidades) e 35,8% maior do que o registrado em fevereiro de 2009.

SÃO PAULO - O volume de imóveis residenciais novos comercializados no município de São Paulo somou 2,8 mil unidades em fevereiro, o melhor resultado para o mês desde 2004, informou hoje o Secovi-SP. Com isso, as vendas aumentaram 89,5% em relação a janeiro, quando foram vendidos 1,5 mil imóveis, e 83,7% contra igual período do ano passado (1,5 mil). O Valor Global de Vendas (VGV), em fevereiro, foi de R$ 915,1 milhões, o que representa uma alta de 55,9% sobre os R$ 586,9 milhões de janeiro e de 157,7% em relação ao VGV de fevereiro de 2009, quando o país sentia os efeitos da crise mundial, pontuou o Secovi-SP. Já os lançamentos, com 1,6 mil moradias, ficaram abaixo do total comercializado, segundo pesquisa da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). Apesar disso, o volume de imóveis lançados foi 178,6% superior ao de janeiro deste ano (590 unidades) e 35,8% maior do que o registrado em fevereiro de 2009. Do total de imóveis residenciais comercializados em fevereiro, 46,4% correspondem ao segmento de dois dormitórios, 29,3% ao de três dormitórios e 17,2% ao de quatro. Segundo o Secovi-SP, os resultados confirmam a maior participação de moradias de área útil média entre 46 metros quadrados e 65 metros quadrados, com 44% do total vendido. No acumulado do ano, as vendas atingiram 4,3 mil unidades, uma alta de 63,6% sobre igual período do ano passado (2,6 mil imóveis). Já os lançamentos somaram 2,2 mil unidades residenciais, um incremento de 40,2% sobre a produção dos dois primeiros meses de 2009. (Karin Sato | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.