SÃO PAULO (Reuters) - As vendas de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no Brasil na primeira quinzena de março, último mês de IPI reduzido, aumentaram 12,32% contra igual intervalo de 2009 e avançaram 9,84% sobre os primeiros 15 dias de fevereiro deste ano. De acordo com dados da Fenabrave, entidade que reúne as concessionárias no país, as vendas totalizaram 138.950 unidades em março até o dia 15.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561778762&_c_=MiGComponente_C

No início do mês, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, previu que as vendas de automóveis em março atingiriam 310 mil unidades, número que, se confirmado, representará um recorde mensal histórico para o setor.

O governo federal reduziu o Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre carros no final de 2008 e a medida foi estendida algumas vezes, como forma de evitar uma queda brusca nas vendas de veículos no país em meio à crise financeira global.

Com o incentivo e com medidas para fomentar o crédito, o Brasil foi um dos únicos países no mundo a apresentar crescimento das vendas de automóveis em 2009, com o volume inédito de 3,14 milhões de unidades comercializadas no mercado interno.

Para 2010, a Anfavea --associação que representa as montadoras-- espera novo recorde, com alta de 8,2%, para 3,4 milhões de unidades.

Leia mais sobre: veículos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.