Tamanho do texto

O mercado recebeu, ontem, os últimos grandes dados da economia brasileira antes da reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, na próxima semana, que deram força para as apostas na alta da taxa Selic já em março. Contudo, o mercado ainda está dividido sobre o início do ciclo de aperto monetário.

A surpresa com o resultado robusto das vendas no varejo em janeiro no País desencadeou o processo de redução de posições vendidas em juros, o que elevou as taxas. O resultado do PIB do quarto trimestre de 2009, por sua vez, veio dentro do esperado. Assim, a taxa para abril de 2010, primeira a vencer após a decisão do Copom na semana que vem, encerrou na máxima de 8,82%. Nos demais vencimentos, os juros também subiram.

Na bolsa, o Ibovespa caiu 0,14%, aos 69.884,61 pontos, em meio à movimentação dos investidores para o vencimento de opções sobre ações na próxima semana. No câmbio, a cautela predominou. A China mostrou que sua atividade segue robusta, mas a inflação preocupa, o que pode desencadear novas medidas de aperto monetário. O dólar balcão cedeu 0,06%, a R$ 1,770, na 3ª queda consecutiva, acumulada em 1% no período.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.