As vendas de combustíveis pelas distribuidoras brasileiras cresceram 9,1% no primeiro semestre de 2010, atingindo 56,145 bilhões de litros, segundo estatísticas divulgadas ontem pela Agência Nacional do Petróleo (ANP)

selo

As vendas de combustíveis pelas distribuidoras brasileiras cresceram 9,1% no primeiro semestre de 2010, atingindo 56,145 bilhões de litros, segundo estatísticas divulgadas ontem pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). No período, diante dos altos preços, o etanol perdeu espaço para a gasolina, que voltou a ser o principal combustível de veículos leves no País. A situação, porém, deve ser revertida no segundo semestre. Segundo os dados da ANP, as vendas de etanol hidratado caíram 15% no primeiro semestre, atingindo 6,638 bilhões de litros. Em janeiro e fevereiro, quando os preços batiam recordes, o etanol registrou os piores volumes de vendas desde 2006. O combustível passou a ser substituído por gasolina mesmo em mercados onde costuma ser mais competitivo, como São Paulo. Tal cenário provocou um crescimento no consumo de gasolina, que bateu recorde no primeiro semestre, com vendas de 14,555 bilhões de litros, alta de 20,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em fevereiro, para conter a escalada de preços, o governo decidiu reduzir o porcentual de etanol anidro na gasolina para 20%, situação que durou até o início de maio, quando a safra 2010-2011 começou a ser colhida. Na comparação entre o consumo de gasolina pura e etanol, houve vantagem para o derivado de petróleo nos primeiros seis meses de 2010, com vendas de 11,289 bilhões de litros (o número exclui os volumes de etanol anidro na mistura vendida nos postos), ante vendas de 10,262 bilhões de litros de etanol, seja hidratado ou anidro. Desde 2008, o consumo de etanol era superior ao da gasolina no Brasil. As mudanças no mercado levaram a Petrobrás a importar gasolina pela primeira vez em 40 anos. Para especialistas, porém, a situação tende a se reverter no decorrer do ano, diante das quedas do preço do etanol após o início da safra. Na última pesquisa de preços divulgada pela ANP, em 23 de junho, o derivado da cana-de-açúcar era mais vantajoso que a gasolina em 14 Estados. Diesel. Em mais um sinal de recuperação da economia no primeiro semestre, a ANP detectou forte crescimento nas vendas de óleo diesel, principal combustível usado para o transporte da produção industrial brasileira. Segundo os dados da agência, as distribuidoras venderam 23,351 bilhões de litros do combustível, um aumento de 12,8% ante o mesmo período do ano anterior. Já o mercado de querosene de aviação teve alta de 14,9%, para 2,977 bilhões de litros. Entre as regiões brasileiras, a que apresentou a maior alta nas vendas de combustíveis foi a Região Norte, com 18,7%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.