Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Venda de carros cai 25% em novembro

As vendas da indústria automobilística em novembro recuaram aos níveis de quase dois anos atrás. Mesmo com a liberação de R$ 8 bilhões por parte de bancos oficiais para as montadoras financiarem o consumo, foram vendidos 177,8 mil veículos, o mais baixo volume mensal nos últimos 21 meses.

Agência Estado |

O volume é 25,7% menor que o de outubro, que já tinha sido 11% inferior ao de setembro. Em relação a novembro de 2007, os negócios caíram 25%. Além disso, completando as más notícias, a Volvo anunciou ontem as primeiras demissões em uma montadora instalada no Brasil desde o acirramento da crise internacional.

Os números de vendas incluem automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Só no segmento de carros e comerciais, principal alvo do crédito liberado pelo Banco do Brasil e a Nossa Caixa, foram vendidas 166,4 mil unidades, 26% a menos que em outubro e igual porcentual de queda em relação a novembro de 2007.

"O mercado está travado nas Brasílias e nos Monzas", definiu um executivo do ramo de revendas. Para ele, a falta de crédito para a venda de veículos usados freou o negócio de novos. "O mercado parou de baixo para cima", disse. Também há a insegurança do consumidor em assumir dívidas no momento.

No ano, as vendas acumuladas somam 2,62 milhões de veículos, 18,3% a mais que em igual período de 2007. Os números, com base em licenciamentos, devem ser confirmados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) na quinta-feira, quando também serão divulgados dados de produção e exportações. A entidade deve rever para baixo as projeções para o ano, que eram de produzir 3,4 milhões de veículos e vender 3 milhões no mercado interno.

Já as vendas de motocicletas em novembro caíram 17,2% ante outubro, para 124,1 mil unidades. Em relação ao mesmo mês do ano passado, a queda foi de 22,8%, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

No mês em que se evidencia a crise no setor automobilístico, um carro considerado de luxo no País, o Honda Civic, foi o quarto mais vendido, perdendo apenas para os populares Gol, Uno e Palio, que tradicionalmente freqüentam a lista dos mais procurados. É a primeira vez desde o lançamento do modelo no País, há 11 anos, que o sedã aparece na lista dos cinco mais vendidos, o que colocou a Honda, também pela primeira vez, na quinta posição no ranking das maiores fabricantes.

Foram vendidos em novembro 6.540 unidades do Civic. A Honda, ao todo, comercializou 10.228 veículos. Kazuo Nozawa, vice-presidente e diretor-comercial da empresa, disse que a montadora e os revendedores fizeram uma promoção que reduziu em R$ 5.470 o preço da versão de entrada - que caiu para R$ 59.990.

"Durante quase dois anos o Civic teve fila de espera e era vendido a preços acima da tabela", disse Nozawa. Agora, foi vendido sem ágio e com bônus. A Honda também atrasou para janeiro o lançamento da versão 2009, prevista para este mês.

O Gol manteve-se na liderança, com 17.996 unidades vendidas, seguido por Uno (9.887) e Palio (9.451). O Celta ficou em quinto lugar, com 6.176 unidades.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG