SÃO PAULO - O vencimento do contrato do Ibovespa futuro e de opções sobre Ibovespa trouxe bastante volatilidade para o mercado brasileiro na primeira etapa dos negócios desta quarta-feira. O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que marcou 70.792 pontos na última jornada, oscilou entre 70.

SÃO PAULO - O vencimento do contrato do Ibovespa futuro e de opções sobre Ibovespa trouxe bastante volatilidade para o mercado brasileiro na primeira etapa dos negócios desta quarta-feira. O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que marcou 70.792 pontos na última jornada, oscilou entre 70.637 e 71.178 pontos. Há pouco, o Ibovespa voltou a acompanhar o movimento internacional e a avançar 0,25%, aos 70.967 pontos. O volume financeiro negociado chega a R$ 3,467 bilhões. A avaliação positiva de indicadores e balanços trimestrais divulgados nos Estados Unidos pela Intel e pelo JPMorgan, e o discurso do presidente do Federal Reserve (Fed), o banco central do país, Ben Bernanke, impulsionam as compras nas bolsas mundiais. Entre os destaques da agenda, as vendas no varejo cresceram 1,6% entre fevereiro e março e avançaram 7,6% em relação ao terceiro mês de 2009. A instituição ainda reviu o dado de fevereiro, de uma alta de 0,3% para 0,5%. Já o índice de preços ao consumidor nos Estados Unidos avançou 0,1% em março após apresentar variação nula um mês antes. Em 12 meses, houve alta de 2,3%. O presidente do Fed ainda discursou no Congresso e expressou confiança de que a recuperação econômica vai continuar, mas que não será forte o suficiente para trazer um alívio rápido ao alto desemprego. Bernanke ainda disse que as condições nos mercados de crédito de curto prazo seguem em direção da normalidade e que os spreads nos mercados de financiamento bancário e de commercial papers voltaram a níveis próximos daqueles antes da crise. Em Wall Street, por volta das 12h50, o índice Dow Jones avançava 0,44%, enquanto o Nasdaq subia 0,95% e o S & P 500 tinha alta de 0,58%. Este é o quinto dia seguido de valorização do mercado americano. Os agentes ainda aguardam a divulgação do Livro Bege pelo Fed, nesta tarde. No front corporativo, a alta das blue chips contribui para a trajetória do Ibovespa. Instantes atrás, as ações Petrobras PN subiam 0,52%, a R$ 34,37, com volume movimentado de R$ 302,1 milhões, enquanto os papéis PNA da Vale se apreciavam em 0,52%, a R$ 51,22, com giro de R$ 700 milhões. O Departamento de Energia dos Estados Unidos divulgou que os estoques americanos de petróleo cru recuaram em 2,2 milhões de barris na semana encerrada no dia 9 de abril, na comparação com a anterior, ficando em 354 milhões de barris. Houve ainda uma baixa de 1,1 milhão de barris nos níveis de gasolina, de 222,4 milhões de barris na semana do dia 2 deste mês para 221,3 milhões de barris uma semana depois. As refinarias utilizaram 85,6% da capacidade operacional na semana passada. Ao fim da primeira etapa do pregão, os papéis ON da Fibria subiam 2,25%, a R$ 38,08, enquanto as ações ON da Redecard avançavam 2,10%, para R$ 30,57, e as PN da Net se valorizavam em 1,93%, a R$ 22,68. O sentido oposto era liderado pelos papéis ON do Banco do Brasil, que caíam 2,17%, a R$ 30,18, pelas units da ALL, que cediam 1,83%, a R$ 15,48, e pelas ações PN da Klabin, que recuavam 1,76%, a R$ 5,55. No mercado brasileiro, o fluxo estrangeiro na Bovespa está positivo em R$ 920,8 milhões no acumulado do mês, até o dia 12, resultado de compras no valor de R$ 12,9 bilhões e de vendas de R$ 12 bilhões. Apenas na segunda-feira, quando o Ibovespa recuou 1,12%, o estrangeiro retirou R$ 239,4 milhões no mercado. No ano, o resultado da atuação do investidor internacional na bolsa brasileira está positivo em R$ 920,6 milhões. (Beatriz Cutait | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.