As operadoras de telefonia móvel estão investindo em uma tecnologia de acesso à internet que terá uma conexão cerca de 180 vezes mais veloz do que a atual, já apelidada de 4G. Segundo cálculos do engenheiro Marcelo Zuffo, professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, as conexões móveis da terceira geração (conhecidos como 3G, atualmente em uso) levam em média seis horas para baixar um arquivo de 1 gigabyte.

Já a tecnologia LTE (Long Term Evolution), ainda não implementada no Brasil, faria o download do mesmo arquivo em dois minutos.

Para chegar a essa conclusão, Zuffo considerou uma taxa efetiva de download de 20%, ou seja, presumiu que o usuário consegue usufruir de um quinto da velocidade máxima de download, verificada em testes. Na prática, a taxa efetiva varia muito e depende da intensidade do tráfego (número de pessoas usando a conexão ao mesmo tempo), distância do aparelho em relação à antena e contrato com a operadora.

Especialistas preveem que a tecnologia 4G permitirá ao usuário assistir a um filme de alta definição no momento em que o arquivo está sendo baixado no dispositivo móvel. Também será possível armazenar um vídeo em um computador remoto no momento em que as imagens estão sendo captadas pela câmera - sem necessidade de primeiro gravar e depois descarregar.

"Apesar de algumas operadoras iniciarem os testes com o LTE este ano, a perspectiva é que ele esteja disponível para o consumidor brasileiro em 2014", prevê o engenheiro Eduardo Tude, diretor da consultoria Teleco. No exterior, o LTE já existe na Suécia e está em fase inicial nos EUA. As informações são do Jornal da Tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.