Tamanho do texto

BRASÍLIA - O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, prevê a geração recorde de empregos para o mês de abril, de 340 mil a 360 mil. Ele mantém a expectativa de mais de 2 milhões novas vagas formais em todo o país em 2010.

BRASÍLIA - O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, prevê a geração recorde de empregos para o mês de abril, de 340 mil a 360 mil. Ele mantém a expectativa de mais de 2 milhões novas vagas formais em todo o país em 2010. Para que todo esse otimismo não seja frustrado, Lupi apenas pondera:"Eu torço, trabalho e luto para que o juro não seja elevado". Depois de anunciar os melhores números da história do mercado de trabalho para março (266,4 mil) e para o primeiro trimestre do ano (657,25 mil), o ministro voltou suas baterias contra a possibilidade de o Comitê de Política Monetária (Copom) subir a taxa básica de juros Selic no encontro deste mês, que hoje está em 8,75% anuais. "Subir os juros será matar a galinha dos ovos de ouro, que é a produção", diz Lupi."Quanto mais produzir, o empresariado vai contratar para atender à alta demanda interna e, agora, também para suprir o retorno das exportações", continuou ele. "Vamos viver o melhor abril, o melhor semestre e o melhor ano da geração de empregos", afirmou Lupi. O ministro destacou que o resultado recorde de abril deverá ser estimulado pelo mesmo fator de destaque em março:"O retorno vigoroso das contratações pela indústria de transformação, com dados positivos bem fortes frentes às quedas do ano passado". Ele lembrou que, no início de 2009, a indústria registrou mais dispensas do que admissões de trabalhadores, por ter sido o setor econômico mais abatido pela crise mundial . Em março, por exemplo, o setor industrial exibiu aumento recorde de vagas com carteira assinada, com 72,44 mil. No acumulado do primeiro trimestre de 2010, a indústria acumulou 204.384 empregos líquidos, a diferença entre contratações e demissões, montante também recorde para a série apurada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Além disso, o ministro destaca outros fatores positivos, como forte contratação na região Nordeste pelo agronegócio. São Paulo com mais 125.189 e Minas Gerais com 39.804 novos postos foram os Estados recordistas do mês de março. (Azelma Rodrigues | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.