Rio de Janeiro, 27 ago (EFE).- A forte valorização do real frente ao dólar nos últimos 12 meses fez com que metade das empresas exportadoras brasileiras deixasse de vender ao exterior ou perdesse mercados internacionais, segundo um estudo divulgado hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Além disso, 74% das pequenas empresas já sofrem com a concorrência de produtos estrangeiros e perdeu participação no mercado interno.

O problema atinge 67% das empresas médias e 49% das grandes, segundo uma pesquisa industrial elaborada pela CNI.

De acordo com o estudo, os setores têxtil, de móveis, de madeira e de vestuário foram os mais afetados.

Das empresas médias, 46% reduziram suas vendas externas e 6% deixaram de exportar, enquanto entre as pequenas estes números foram de 42% e 4,0%, respectivamente, e entre as grandes de 37% e 1%.

Em um esforço para manter sua participação no mercado externo, 78% das empresas adotaram medidas como redução de custos e investimentos em qualidade, design e busca de novos clientes no exterior.

A valorização do real frente ao dólar também estimulou o uso de insumos importados, o que aconteceu com mais intensidade nas empresas maiores.

Desta forma, 81% das grandes, 61% das médias e 41% das pequenas usam matérias-primas estrangeiras.

O estudo foi elaborado entre 1.564 empresas, entre 26 de julho e 6 de agosto, sendo 885 pequenas, 458 médias e 221 grandes. EFE ol/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.