A valorização dos preços dos principais grãos produzidos no Brasil elevou o valor da produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas em 36,5% em 2007 em relação ao ano anterior, o que representa cerca de R$ 15 bilhões a mais de um ano para o outro. Pesquisa do IBGE revelou que o milho, impulsionado pelo aumento da produção do etanol nos EUA, foi o destaque de expansão da safra no ano passado.

Apesar do aumento observado em 2007, o valor da produção da safra do País, que foi de R$ 59 bilhões, ainda não alcançou o observado no ano de 2004 (R$ 63,4 bilhões). Para os técnicos do IBGE, a valorização da moeda brasileira, nos últimos anos, é a principal explicação desse resultado, já que parte da produção é destinada ao mercado externo. A soja e o milho foram responsáveis, sozinhos, por 82% da safra agrícola total do País de 2007, que atingiu o recorde de 133,3 milhões de toneladas. O milho foi o grande destaque em termos de crescimento, com expansão de 22% - ou o equivalente a 9,2 milhões de toneladas - sobre o ano anterior, totalizando uma colheita também recorde de 52 milhões de toneladas do produto. A pesquisa mostrou que São Paulo, que concentra 78,1% da produção nacional de milho, perdeu espaço entre os seis principais Estados produtores. Isso ocorreu por causa da perda de área plantada para a cana-de-açúcar.

Ainda que com expansão mais moderada do que o milho, a produção brasileira de soja alcançou o recorde de 58 milhões de toneladas em 2007, superando em 10,6% a safra do ano anterior.

Em Mato Grosso, principal produtor de soja do País, foram produzidas 15,2 milhões de toneladas, ou 26,3% do total nacional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.