As ações da Vale roubaram a cena na Bolsa de Valores de São Paulo hoje, sustentando o índice Bovespa em alta praticamente por toda a sessão. Os investidores se avolumaram nas compras de Vale depois da notícia de que a mineradora teria adotado um novo sistema de precificação do minério de ferro, que resultaria num reajuste de até 114%.

Como o porcentual supera as já gordas estimativas, que atingem até 90%, os papéis brilharam na sessão, liderando as compras e espalhando o efeito positivo também para o setor siderúrgico.

O Ibovespa encerrou o pregão com elevação de 0,50%, aos 69.386,72 pontos. Na mínima da sessão, registrou 68.913 pontos (-0,19%) e, na máxima, os 69.613 pontos (+0,83%). No mês, a Bolsa sobe 4,34% e no ano, 1,16%. O giro financeiro totalizou R$ 5,895 bilhões. Os dados são preliminares.

A notícia que movimentou o mercado foi a de que a mineradora teria enviado um documento a seus clientes globais informando que reajustaria o minério de ferro em 114%, a partir de abril, com adoção de novo sistema de preços. No começo da tarde, no entanto, a Vale disse que "não fez qualquer novo comunicado ao mercado de capitais sobre preços de seus produtos", mas reiterou que "nos últimos tempos" implementou uma nova política comercial, mais flexível quanto à forma de venda. Segundo a Vale, "tal política reflete a realidade de mercado e as necessidades específicas de cada cliente".

Fato ou boato, os investidores passaram a se posicionar na ponta comprada dos papéis, que subiram 3,54% na ação ordinária (ON) - prova de maior presença de estrangeiros - e de 2,60% na preferencial da classe A (PNA). Esta última ação movimentou, sozinha, R$ 1,078 bilhão.

O desempenho da Vale também acabou ecoando sobre as ações da MMX, que subiram 5,56% na ON - maior alta do Ibovespa - e nos papéis de CSN ON (+4,28%) e Usiminas PNA (+2,10%), que detêm ativos em mineração. Gerdau PN subiu 0,30% e Metalúrgica Gerdau PN, 0,12%.

Segundo os analistas, muitos investidores se desfizeram de Petrobras para se posicionar em Vale, em razão do horizonte nebuloso sobre a empresa petrolífera. O maior endividamento e a capitalização dentro do marco regulatório do pré-sal foram citados como pontos negativos aos papéis da estatal. Petrobras ON perdeu 1,60% e Petrobras PN, -1,16%. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), o contrato futuro de petróleo com vencimento em maio subiu 0,38% para US$ 81,91 por barril.

O comportamento dos papéis da mineradora Vale acabou dando brilho a um pregão que tinha tudo para ser novamente arrastado, uma vez que os investidores ainda não estão encontrando justificativas para empurrar o Ibovespa de volta aos 70 mil pontos e para uma nova máxima de 2010. A Bolsa brasileira subiu menos que as norte-americanas. O índice Dow Jones terminou com alta de 0,95% hoje, aos 10.888,83 pontos, o S&P 500 avançou 0,72%, aos 1.174,17 pontos. Os dois índices terminaram no maior nível desde 26 de setembro de 2008. O Nasdaq subiu 0,83%, aos 2.415,24 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.