Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Vale negocia exploração de minério na Libéria

A Libéria está em negociação com a Vale para uma possível concessão para exploração de minério de ferro no país, e espera fazer um anúncio em breve, disse ontem a comissão de investimentos do país. Se a negociação avançar, segundo o presidente da comissão, Richard Tolbert, será o sexto maior acordo de produção de minério de ferro fechado com uma empresa estrangeira nos últimos cinco anos, somando-se a US$ 10 bilhões já acertados nesse período.

AE |

A Libéria está em negociação com a Vale para uma possível concessão para exploração de minério de ferro no país, e espera fazer um anúncio em breve, disse ontem a comissão de investimentos do país. Se a negociação avançar, segundo o presidente da comissão, Richard Tolbert, será o sexto maior acordo de produção de minério de ferro fechado com uma empresa estrangeira nos últimos cinco anos, somando-se a US$ 10 bilhões já acertados nesse período. O acordo destaca os esforços que a Libéria tem feito para restaurar a sua estabilidade e atrair investidores interessados nas vastas reservas de minério de ferro de um país que permaneceu em um estado de guerra quase permanente entre 1989 e 2003. "Como resultado da visita do nosso presidente ao Brasil (neste mês), poderemos ter a primeira mineradora do mundo aqui", disse Tolbert em entrevista na capital liberiana. "Não vou entrar em detalhes mas estou bastante contente em ver (a Vale) chegar. Haverá um anúncio em breve." Sócio. A China Union acertou uma concessão de minério de ferro no início do ano passado. Uma delegação de autoridades chinesas, liderada pelo vice-ministro do Comércio, Fu Ziying, estava ontem no país para abrir oficialmente o projeto Bong. Esse projeto deve custar US$ 2,6 bilhões, o maior investimento estrangeiro no país desde a guerra. Em janeiro, o empresário israelense Jacob Engel tornou-se o mais recente estrangeiro a investir em depósitos de minério de ferro liberianos, garantindo uma licença de 25 anos para minas com reservas de 1,1 bilhão de toneladas de minério de ferro. "Somos bastante cuidadosos em não dar todos os nossos recursos para qualquer investidor ou país", disse Tolbert. "Dá para ver isso na diversidade de nossas concessões de mineração." O interesse das mineradoras pelos minério de ferro da África se justifica pela recuperação econômica global, que amplia a demanda por aço. Uma delegação da Vale se reuniu neste mês com o presidente do Gabão, Ali Bongo. A siderúrgica ArcelorMittal e a mineradora BHP Billiton também têm grandes concessões na Libéria.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG