RIO - A queda do valor de mercado de diversas mineradoras em um cenário mundial de queda dos preços das commodities ainda não foi suficiente para tornar prioridade para a Vale a aquisição de concorrentes. De acordo com o presidente da companhia, Roger Agnelli, o foco da empresa continuará sendo o crescimento orgânico.

" Sempre deixei claro que o crescimento orgânico é a nossa prioridade e qualquer movimento de aquisição é oportunístico. Se houver a possibilidade nós vamos estudar, mas não significa que a gente vai realizar aquisições. Não é nossa prioridade, embora a Vale esteja preparada para isso " , disse Agnelli, que apresentou hoje os resultados financeiros da empresa, que no terceiro trimestre registrou lucro líquido de R$ 12,4 bilhões.

O executivo frisou que entre os projetos prioritários para a mineradora estão aqueles ligados à produção de carvão, como Moatize, em Moçambique. De acordo com ele, grande parte dos projetos da Vale são " brownfield " , ou seja, expansões, o que torna os custos menores. E mesmo na carteira " greenfield " (novos projetos), a primazia é de unidades em áreas de atuação da mineradora, o que reduz custos de logística.

" Por enquanto, os preços dos ativos, de modo geral, ainda não chegaram a competir com os projetos de crescimento orgânico da Vale " , acrescentou Agnelli.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.