SÃO PAULO - A Vale planeja investir neste ano aproximadamente R$ 60 milhões no desenvolvimento e aplicação de tecnologias inovadoras em operações ferroviárias e portuárias. Entre os principais investimentos estão novos equipamentos para operação de locomotivas por meio de comando remoto.

SÃO PAULO - A Vale planeja investir neste ano aproximadamente R$ 60 milhões no desenvolvimento e aplicação de tecnologias inovadoras em operações ferroviárias e portuárias. Entre os principais investimentos estão novos equipamentos para operação de locomotivas por meio de comando remoto. Dois desses equipamentos já estão em fase de testes na Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), enquanto outros dois serão colocados à prova até o fim do ano. Tais equipamentos permitem que o maquinista saia da cabine da locomotiva para realizar manobra com comando remoto, dando a ele uma visão completa da operação e maior rapidez no processo. A empresa também está investindo no desenvolvimento de um sistema de aproximação dinâmica que permite o engate da locomotiva com o trem em movimento. O mecanismo acarreta economia de até 5% com combustível, já que os momentos de maior consumo ocorrem nas paradas e frenagens dos trens. No Terminal Portuário de Ponta da Madeira, no Maranhão, a Vale trabalha em um sistema para permitir operação remota a todas as máquinas empilhadeiras e recuperadoras, usadas para transferir o minério do pátio para as correias transportadoras até o navio. "A partir de câmeras e sensores instalados nas máquinas, conseguimos levar operadores até um ponto distante dos equipamentos, para que tenham visão do pátio como um todo e operem de forma remota", explica, em nota, o diretor de operações logísticas da Vale, Humberto Freitas. (Eduardo Laguna | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.