Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Vale e siderúrgicas sustentam Bovespa em alta

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) dá continuidade ao movimento de alta iniciado na sessão de ontem. Apoiado nas ações da Vale e das siderúrgicas, por volta das 13h15, o Ibovespa apresentava valorização de 0,94%, aos 55.086 pontos, com giro financeiro em R$ 2,09 bilhões.

Valor Online |

 

Segundo o diretor da Indusval Corretora, José Costa Gonçalves, o motivo para a alta é o mesmo da baixa: commodities. Depois das acentuadas quedas, o preço das matérias-primas ensaia uma recuperação.

Assimilando diretamente a melhora no preço dos metais, as ações da Vale lideram os ganhos dentro do índice. Há pouco, o ativo PNA da mineradora subia 3,20%, para R$ 36,70, e o ON ganhava 1,86%, para R$ 42,53. O papel também reflete novas recomendações de compra por parte de corretoras e bancos estrangeiros.

Desempenho positivo também para o setor siderúrgico. Gerdau PN ganhava 2,20%, para R$ 29,15, e CSN ON valorizava 0,74%, para R$ 5,80. O papel PNA da Usiminas avançava 1,22%, para R$ 57,00. A companhia reportou lucro de R$ 861 milhões entre abril e junho de 2008, leve alta de 7% no comparativo anual.

Segurando um melhor desempenho do índice, Petrobras PN caía 1,48%, para R$ 33,25. O papel perde força devido as discussões envolvendo a criação de uma nova estatal para gerir as reservas do pré-sal.

Ainda de acordo com Costa, o Ibovespa pode ter encontrado um piso ao redor dos 55 mil pontos e a tendência agora seria de recuperação. Mais importante que isso, segundo o especialista, é uma perceptível melhor no humor do mercado.

Para o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves, além da melhora nas commodities as ações também reagem a fatores macroeconômicos.

Na visão do especialista, os dados sobre as vendas no varejo podem ter sido interpretados pelos agentes como um sinal de arrefecimento da demanda, o que vai ao encontro do desejo do Banco Central.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas no varejo subiram 8,2% em junho em comparação com igual período do ano passado, desacelerando da alta de 10,5% vista em maio.

Apesar de positivos para a condução da política monetária, os dados não são um sinal agradável para as empresas do setor. Dentro do Ibovespa, o papel ON das Lojas Renner caía 5,90%, para R$ 28,23. A também varejista Lojas Americanas PN perdia 2,77%, para R$ 10,17, e a B2W Varejo ON recuava 1,18%, para R$ 57,61.

O destaque do pregão está com as ações PN da Ultrapar, que subiam 7,60%, para R$ 57,33. A companhia anunciou a compra dos negócios de distribuição da Texaco no Brasil por R$ 1,16 bilhão. Aliando a Texaco a Ipiranga, que foi comprada em 2007, a Ultrapar terá 23% do mercado de distribuição de combustíveis no Brasil.

Em Wall Street, a recuperação das ações do setor financeiro puxou os índices para o território positivo depois de um começo de pregão em baixa. Há pouco, Dow Jones ganhava 0,97%, enquanto Nasdaq subia 1,01%.

No câmbio, o pregão é bastante instável com a moeda estrangeira recuperando as perdas do período da manhã. Há pouco, o dólar valia R$ 1,626 na compra, alta de 0,68%. Na mínima a moeda bateu R$ 1,608.

Leia também:

 

Leia mais sobre Bovespa - dólar

Leia tudo sobre: bovespadolar

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG